ARTIGOS


Papel dos Ácidos Graxos Voláteis na Deposição de Tecido Adiposo Intramuscular – Revisão

Autores
Angelo Polizel Neto, Renata Helena Branco, Sarah Figueiredo Martins Bonilha

Resumo

A deposição de tecido adiposo basicamente ocorre em quatro sítios distintos: gordura interna (abdominal, renal-inguinal e pélvica), intermuscular (entre os grupos musculares), subcutânea (de cobertura) e intramuscular (marmoreio), seguindo esta mesma seqüência, o que classifica a deposição intramuscular como tardia, por ser a última gordura corporal depositada. Contudo, mecanismos nutricionais podem propiciar maior e antecipada deposição de gordura intramuscular, uma vez que o acetato contribui com 70 a 80 % das unidades de carbono provenientes de acetil-CoA depositadas no tecido adiposo subcutâneo e com apenas 10 a 26 % das depositadas no intramuscular.
 
O lactato contribui de forma similar nos sítios de depósito de gordura corporal, com valores entre 15 e 30 % das unidades de carbono incorporadas. A glicose contribui com 50 a 60 % das unidades incorporadas, sendo fonte doadora de acetil-CoA para a deposição de tecido adiposo intramuscular. Assim, sistemas de produção voltados à produção de maiores teores de gordura intramuscular no músculo

Longissimus dorsi, devem fornecer aos animais dietas capazes de elevar os teores de ácidos graxos voláteis gliconeogênicos.

 

Íntegra (PDF)

Veja todos os artigos



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir