#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul


ARTIGOS


Efeito das adubações orgânica e química no desenvolvimento e composição mineral da alfafa (Medicago sativa L.) cv. Crioula

Autores
Valdinei Tadeu Paulino, Maira Cristina Gonçalves Borges, Marcia Atauri Cardelli de Lucena, José Evandro de Moraes

Resumo

Valdinei Tadeu Paulino1, Maira Cristina Gonçalves Borges2 , Marcia Atauri Cardelli de Lucena3, José

Evandro de Moraes4

1Pesquisador do Instituto de Zootecnia, Nova Odessa/SP, APTA/SAA, e-mail: paulino@iz.sp.gov.br
2Estudante da UNESP-Jaboticabal-SP,estagiária junto ao CPDNAP-IZ, Nova Odessa-SP, e-mail: maira_gb@yahoo.com.br
3Pesquisadora do Instituto de Zootecnia, Nova Odessa/SP, APTA/SAA, e-mail: lucena@iz.sp.gov.br
4Pesquisador do Pólo de Registro, Registro-SP, APTA/SAA, SP, e-mail: jevandro@apta.sp.gov.br

O experimento foi desenvolvido no Instituto de Zootecnia, em Nova Odessa, num solo Latossolo Vermelho Escuro distrófico, em casa de vegetação, com objetivo de estudar os efeitos de três tipos de fertilizantes: esterco bovino in natura, biofertilizante (húmus), adubo mineral e calagem sobre os rendimentos de matéria seca (MS), proteína (PB), e conteúdos de N, P, K, Ca, Mg e S em alfafa cv. Crioula. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, em esquema fatorial 3 x 3, com níveis crescentes de húmus fertilizante (0, 1 e 2 t/ha), três níveis de fertilizantes convencionais (0; C50= 50% de adubação convencional/ha -35, 45 e 30 kg com N, P2O5 e K2O, e C100= 100% adubação convencional/há - 90, 90 e 30 kg de N, P2O5 e K2O) e mais três tratamentos adicionais: 1 t/ha de esterco + 100% de adubo convencional; 2 t/ha de esterco + 100% de adubo convencional e 2 t/ha de esterco. A utilização de 50% (1 t/ha de húmus) com 50% da dose de adubo químico foi a que mais contribuiu para o bom desenvolvimento da planta e aumento na acumulação de PB, sendo viável o seu uso por questões nutricionais, ambientais e econômicas. Os teores de N, P, K, Ca, Mg e S, mediante o uso de fertilizante orgânico ou químico, foram adequados para o crescimento normal da alfafa.

 

Palavras.chave: biofertilizante, matéria seca, proteína, nutrientes

 

Effect of organic and chemical fertilizations on the produtivity and mineral composition of lucerne (Medicago sativa L.) cv. Crioula

 

A greenhouse experiment was carried out on dystrophic Dark Red Latosol from Nova Odessa, Sao Paulo State, Brazil, to evaluate the effects of three types of fertilizers: cattle manure, biofertilizer, NPK fertilizers and lime on the dry matter, protein accumulation and nutrient content of alfalfa (Medicago sativa L.) cv Crioula. A factorial layout was used with 3 x 3, humus biofertilizer (0, 1.0 and 2.0 t/ha) and chemical fertilizer (0; C50= 50% of conventional fertilization/ha -35, 45 e 30 kg of N, P2O5 and K2O, and C100= 100% conventional fertilization/ha - 90, 90 and 30 kg of N, P2O5 and K2O), and more three additional treatments: 1 ton/ha of cattle manure + C100; 2 ton/ha of cattle manure + C100 and only 2 ton/ha of cattle manure, arranged in randomized complete blocks design. The utilization of 50% (1 ton per hectare for humus) and 50% of chemical fertilizer was the bigger dry matter production and protein accumulation. It is advisable its use for environmental, nutritional and economics reasons. The contents of N, P, K, Ca, Mg and S, with organic or chemical fertilizer, were considered sufficient for normal growth of lucerne.

 

Keywords: biofertilizer, dry matter, nutrients, protein contents

Íntegra (PDF)

Veja todos os artigos



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir