Atividade enzimática do solo de pastos de Brachiaria manejados sob ofertas de forragem

  • E. R. Janusckiewicz Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, unidade Universitária de Aquidauana https://orcid.org/0000-0002-6923-0897
  • E. Raposo
  • B. M. P. R. Martins
  • M. A. Magalhães
  • A. R. Panosso
  • G. M. P. Melo
  • A. C. Ruggieri
Palavras-chave: arilsulfatase, celulase, desidrogenase, protease, umidade do solo

Resumo

A atividade enzimática do solo reflete a atividade dos microrganismos que decompõem a matéria orgânica e liberam nutrientes às plantas. O objetivo foi avaliar a atividade enzimática no solo de pastos de cultivares de Brachiaria manejados sob as ofertas de forragem de 4, 7, 10 e 13 kg MS/100 kg PC. O método de pastejo adotado foi mob-stocking, com quatro ciclos de pastejo (entre dezembro de 2008 e fevereiro de 2009). Também foi realizada uma amostragem em junho de 2009 para melhor caracterização, pois a mineralização da matéria orgânica no solo ocorre em longo prazo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com três repetições e parcelas subdivididas no tempo.  As ofertas de forragem não mantiveram um padrão da atividade das enzimas desidrogenase, protease, arilsulfatase e celulase. Entre as cultivares, verificou-se maior (P<0,05) atividade da desidrogenase e da arilsulfatase nos pastos da cv. Marandu. A atividade da desidrogenase observada foi 169,90; 189,19; 185,65; 247,74 e 126,00 μg TFF/g solo e da arilsulfatase foi 29,69; 31,19; 38,14; 34,22 e 38,33 μg paranitrofenol/g solo, respectivamente nos dias de avaliação 1, 21, 42, 63 e 183 para arulsulfatase. A atividade da protease foi maior (P<0,05) na cv. Marandu, com exceção do dia de avaliação 42 onde a maior atividade foi na cv. Mulato (82,38 μg tirosina/g solo). Na cv. Marandu a atividade obtida para a protease foi 80,49; 108,23; 86,01 e 134,71 μg tirosina/g solo, respectivamente nos dias de avaliação 1, 21, 63 e 183. A cv. Marandu é mais indicada em fornecer melhores condições para os microrganismos responsáveis pela atividade das enzimas desidrogenase, arilsulfatase e protease. Pode-se inferir que é necessário maior tempo de estudo para que ocorra maior especificidade das ofertas de forragem em relação ao comportamento da atividade das enzimas. 

Publicado
26-12-2019
Como Citar
Janusckiewicz, E., Raposo, E., M. P. R. Martins, B., A. Magalhães, M., R. Panosso, A., P. Melo, G., & Ruggieri, A. (2019). Atividade enzimática do solo de pastos de Brachiaria manejados sob ofertas de forragem. Boletim De Indústria Animal, 76, 1-12. https://doi.org/10.17523/bia.2019.v76.e1460
Seção
FORRAGICULTURA E PASTAGENS