Boletim de Indústria Animal http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia <p align="center"><img src="/bia/public/site/images/fprado/download2.jpg" alt=""></p> <p align="justify"><span style="font-size: medium; font-family: 'book antiqua';">O Boletim de Indústria Animal-BIA é uma revista científica de produção animal e áreas afins, de publicação contínua de acesso livre, on-line, editado pelo Instituto de Zootecnia, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O BIA tem por objetivo publicar artigos científicos originais em português e inglês, que contribuam para o desenvolvimento da produção animal, nas áreas de Aquicultura, Etologia e Ambiência, Forragicultura e Pastagens, Genética, Melhoramento Animal, Métodos Quantitativos e Economia, Nutrição Animal, Qualidade de Produtos de Origem Animal, Reprodução Animal, Sanidade Animal, e Sistemas de Produção e Agronegócios. Os manuscritos enviados ao Boletim de Indústria Animal devem ser inéditos e não podem ser publicados ou submetidos à publicação em outro meio de divulgação simultaneamente, com exceção de anais de congresso. O BIA publica artigos científicos. O conteúdo dos manuscritos submetidos à publicação no BIA é de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es)</span><strong style="font-size: medium; font-family: 'book antiqua';"><em>.</em></strong></p> Instituto de Zootecnia pt-BR Boletim de Indústria Animal 1981-4100 <p>Os autores não serão remunerados pela publicação de trabalhos, pois devem abrir mão de seus direitos autorais em favor deste periódico. Por outro lado, os autores ficam autorizados a publicar seus artigos, simultaneamente, em repositórios da instituição de sua origem, desde que citada a fonte da publicação original seja Boletim de Indústria Animal. A revista se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua e a credibilidade do veículo. Respeitará, no entanto, o estilo de escrever dos autores. Alterações, correções ou sugestões de ordem conceitual serão encaminhadas aos autores, quando necessário. Nesses casos, os artigos, depois de adequados, deverão ser submetidos a nova apreciação. As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade. Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution (CC-BY-NC). A condição BY implica que os licenciados podem copiar, distribuir, exibir e executar a obra e fazer trabalhos derivados com base em que só se dão o autor ou licenciante os créditos na forma especificada por estes. A cláusula NC significa que os licenciados podem copiar, distribuir, exibir e executar a obra e fazer trabalhos derivados com base apenas para fins não comerciais.</p> Efeito de aplicação do hormônio hcg em machos de diferentes variedades de tilápia do Nilo Oreochromis Niloticus http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1436 <p style="text-align: justify;" align="justify"><span style="font-size: 1.4em; font-family: 'book antiqua';">Este trabalho tem como objetivo avaliar o efeito do horário de aplicação da gonadotrofina coriônica humana (hCG), sobre os parâmetros reprodutivos de 40 machos das variedades de tilápias do Nilo GIFT e UFLA. O experimento foi conduzido no Laboratório de Recirculação de Água da Estação de Piscicultura, do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras - MG. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 4 (duas variedades e quatro horários de aplicação do hCG) com cinco repetições. Foram utilizados 20 machos da variedade GIFT e 20 machos da variedade UFLA, microchipados e alojados em um sistema de recirculação de água. Os horários foram 6, 12, 18 e 24 horas. A dosagem de hCG foi realizada em dose única. Foram analisadas as variáveis: taxa e duração da motilidade espermática, morfologia espermática, volume de sêmen e a concentração de espermatozoides do sêmen. Os dados obtidos foram submetidos à análise da variância e as médias foram comparadas pelo teste SNK a 5% de significância. O horário de aplicação e a variedade utilizada nao influenciaram as variáveis analisadas, porém a variedade UFLA apresentou um maior número de animais que espermiaram. A concentração apresentou uma media de 5,73 x 105 espermatozoide/mL para a variedade UFLA e 4,71 x 105 espermatozoide/mL para a variedade GIFT. O volume de sêmen encontrado para a GIFT foi de 0,9 mL enquanto para a UFLA foi de 0,6 mL. A motilidade espermática encontrada foi de 96,5% com duração de 4,33 minutos para a variedade UFLA e 88,4% com duração de 4,8 minutos para variedade GIFT. A quantidade de células espermáticas normais apresentou uma média de 86,35% para a variedade UFLA e 86,46% para a variedade GIFT. A indução com hCG em diferentes horários de aplicação não apresentou diferença significativa sobre os parâmetros de qualidade espermática dos machos de tilápia.</span></p> C. C. V. Melo U. N. Souza V. O. Felizardo R. V. Reis Neto M. R. F. Machado ##submission.copyrightStatement## http://www.iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia 2018-03-30 2018-03-30 75 1 8 10.17523/bia.v75n1p1 Avaliação do consumo de peixes no município de Palmas-TO http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1494 <p>&nbsp;No presente estudo teve-se como objetivo avaliar o consumo de peixe no município de Palmas-TO, de acordo com o perfil socioeconômico, a frequência, as principais espécies consumidas, os locais de consumo e as formas de aquisição dos mesmos. Foram entrevistadas 515 pessoas, com o apoio de um questionário estruturado. Verificou-se que a maior frequência do consumo de peixe foi de uma ou duas vezes por semana e que 3,30% dos entrevistados fazem essa ingestão diariamente. Os tipos de peixes preferidos foram os redondos (caranha (<em>Piaractus spp.</em>), tambaqui (<em>Colossoma macropomum</em>) e seus híbridos), sendo os peixes frescos a forma de maior preferência de aquisição (84,47%). Os mercados e as feiras livres foram os principais locais de aquisição do peixe (37,86%), onde a maioria (29,32%) dos entrevistados paga até R$ 15,00 por quilo do peixe. O principal local de consumo de peixe pelos entrevistados foi em suas próprias residências (72,23%). O motivo mais citado que leva a ingestão de peixe foi o sabor ou o hábito (40,19%), enquanto os principais motivos que impedem a ingestão de peixe foram o preço (23,68%) e a presença de espinhas (6,79%), respectivamente. Diante da perspectiva de aumento da produção e consumo de peixes no contexto regional e nacional, além das recomendações advindas da FAO/ONU é imprescindível a realização de trabalhos de intervenção social com o intuito de promover iniciativas para o aumento do consumo de peixes pela população como, por exemplo, palestras ou campanhas educativas que informem o relevante valor nutricional que a carne de pescado apresenta, bem como seus efeitos benéficos para a saúde humana.</p> R. C. Ribeiro L. A. Barros C. R. F. Pires H. C. A. Kato D. N. Sousa ##submission.copyrightStatement## 2018-08-30 2018-08-30 75 10.17523/bia.2018.v75.e1408 Conforto térmico de ovinos da raça Santa Inês confinados com dietas contendo três níveis de inclusão de concentrado http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1471 <p align="justify"><span style="font-size: 1.4em; font-family: 'book antiqua';">Objetivou-se avaliar o conforto térmico de ovinos confinados recebendo dietas com a inclusão de três níveis de concentrado. Foram utilizados 15 animais machos, da raça Santa Inês, peso médio 17±3,32 kg e idades entre 4 meses e 1 ano,&nbsp; recebendo três níveis de inclusão de concentrado (20, 40 e 60%). Foram determinadas as variáveis ambientais (temperatura do ar (TA), temperatura máxima (Tmáx) e mínima (Tmín), umidade relativa do ar (UR) e velocidade do vento (VV)) e os&nbsp; parâmetros fisiológicos (frequência respiratória (FR), temperatura retal (TR) e superficial (TS)) às 8:00, 12:00, 14:00 e 17:00 h. O delineamento utilizado foi em blocos casualizados arranjados em parcelas subdivididas, utilizando análise de&nbsp; regressão para TA, Tmáx, Tmín, UR e VV, contrastes ortogonais para desdobramentos da interações e teste Tukey para análise das médias das variáveis FR, TR e TS. A inclusão de concentrado na dieta de ovinos acima de 20% afetou o conforto térmico dos animais nas condições ambientais apresentadas. </span></p> J. O. Borges A. P. V. Silva R. A. Carvalho ##submission.copyrightStatement## 2018-07-10 2018-07-10 75 10.17523/bia.2018.v75.e1410 Temperament, behaviour and physiology of sheep trained with tactile stimulation and halter walking http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1480 <p style="text-align: justify;">This study aimed to evaluate the influence of tactile stimulation and halter walking trainings in the temperament, physiology, behavior and body weight of sheep. A total of 80 sheep, males and females, of the Morada Nova (MN) and Santa Ines (SI) breeds, with initial ages of six to eight months, were trained with tactile stimulation (TS), halter walking (HW) or tactile stimulation and halter walking (TS+HW). The control (C) animals were not submitted to any kind of training. The behavioral aspects were measured by application of a open-field test, to quantify the traits movement, vocalization, escape attempt and digging, and the temperament test, with assignment of a temperament score for each animal. The animals were weighed and rectal temperature, heart rate and respiratory rate were measured. Males were more reactive than females to human. Animals trained with TS were the least reactive in the temperament test, while the most reactive animals were SI male from C and TS+HW treatments. Males of treatments C and HW were the heaviest during the study. The animals in the control group showed higher averages for heart rate and rectal temperature, while animals trained with TS and HW showed the lowest values. Females MN trained with TS and TS+HW moved more during the open-field test, while the SI females of the control group moved less. The SI animals vocalized more during the open-field test, both from treatment C and from TS+HW.&nbsp; The MN animals from C treatment vocalized less. Sheep trained with tactile stimulation were more docile. The training with tactile stimulation and halter walking in Santa Ines and Morada Nova sheep influenced the heart rate, rectal temperature, moviment, vocalization, escape attempt and body weight.</p> A. C. B. Freitas L. M. Toledo R. L. D. Costa G. A. E. Parren D. B. Pereira B. C. Fornazari C. R. Quirino E. Pinatti ##submission.copyrightStatement## 2018-12-13 2018-12-13 75 10.17523/bia.2018.v75.e1426 Crescimento comparativo e tolerância ao calor de cabritos de diferentes grupos genéticos no estado do Rio de Janeiro http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1486 <p>Foi avaliado o crescimento comparativo de 125 cabritos de diferentes grupos genéticos (GG), sendo 34 ½ Saanen (SA) + ½ Parda Alpina (PA), 33 ½ SA + ½ Anglonubiana (AN), 30 ¾ SA + ¼ PA e 28 three cross ½ Bôer (BO) + ¼ AN ¼ + ¼ SA, confinados. A análise estatística revelou diferença (P&lt;0,01) entre os GG, entre peso ao nascer (PN), a desmama (PD) e ao abate (PA). O PN, PD e PA foram influenciados (P&lt;0,01) pelo sexo da cria e tipo de nascimento. Houve diferença (P&lt;0,01) entre o ganho de peso diário no período pré e pós-desmama. Os ganhos de pesos nesses períodos foram influenciados (P&lt;0,01) pelo GG, sexo da cria e tipo de nascimento (P&lt;0,01). Os ganhos de peso médio diário no período pré-desmama foram maiores (P&lt;0,01) em relação ao pós-desmama. Houve diferença na temperatura retal (TR), frequência respiratória (FR) e cardíaca (FC) entre os GG, pela manhã (P&lt;0,05) e a tarde (P&lt;0,01). Os cabritos (½ SA + ½ AN) e o three cross apresentaram a TR, FR e FC mais baixas do que os (½ SA + ½ PA) e (¾ SA + ¼ PA). Pela aplicação do índice de tolerância ao calor (ITC) proposto por Baccari Júnior, os cabritos ½ SA + ½ AN e o three cross obtiveram o ITC mais alto do que o ½ SA + ½ PA e o ¾ SA + ½ PA, revelando-se mais tolerantes às condições climáticas da Baixada Fluminense, Estado do Rio de Janeiro.</p> L. F. D. Medeiros D. H. Vieira C. A. Oliveira V. B. Hermelino F. C. Santos R. A. R. Léo C. T. Morães L. R. Justino ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1430 Sun tolerance and physiological parameters of goats grazing Panicum maximun cv. Tobiatã http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1475 <p>The aim of this study was to evaluate the influence of supplementation on sun tolerance and physiological parameters of goats in grazing. Sixty goats (20 Alpine, 18 Anglo-Nubian and 22 crossbred Boer) primiparous and multiparous, with average body weight of 49.33 ± 1.41 kg were used in this experiment. The goats were kept in rotational pastures of <em>Panicum maximum</em> cv. Tobiatã and supplemented with two levels of concentrate: 300 (NS30) and 600 g/ kg (NS60) of the daily dry matter requirements, assessed from pre-breeding season to approximately 110 days of lactation. Visual observations of tolerance of goats in the sun were made monthly, each 15 minutes during the entire period that the animals remained in the pasture. The respiratory rate and rectal temperature were evaluated monthly, being measured at 9 a.m., 1 p.m. and 5 p.m. Temperature and air relative humidity were recorded every hour, on the days of data collection. Breed influenced the respiratory rate and rectal temperature at 1 p.m., and the crossbred Boer animals showed more appropriate physiological parameters, leading to&nbsp; greater heat tolerance. There was no influence of treatment on the physiological variables of the goats. The Anglo-Nubian goats showed higher resistance to direct sun radiation, staying longer in the sun, being the most suitable for the production system in pasture.</p> R. O. Marques H. C. Gonçalves P. R. L. Meirelles R. V. Lourençon G. M. Oliveira M. F. Martins H. F. B. Gomes G. I. L. Canizares E. P. Brito H. L. Correa ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1422 Atributos químicos e físicos de um latossolo em diferentes sistemas integrados de produção agropecuária http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1444 <p>Com o grande destaque dado para as mudanças climáticas nas últimas décadas, a busca por sistemas de cultivo sustentáveis e equilibrados tem crescido junto com a busca pela conservação do solo e redução do uso de insumos agrícolas inorgânicos. À vista disso, este trabalho teve como objetivo estudar a influência de diferentes culturas consorciadas e em sucessão nos atributos físico-químicos de um Latossolo argiloso em condições de Cerrado. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados em esquema fatorial 2 x 2 x 2 e com quatro repetições: semeadura de milho em espaçamento de 0,45 m ou 0,90 m, consorciado com capim-xaraés ou capim-tanzânia, seguido da manutenção da pastagem das forrageiras na área adubadas ou não com 250 kg/ha de N (parcelados em 5 aplicações), e sucedido por soja. Foram determinados os atributos químicos e físicos do solo, resistência mecânica à penetração, umidade gravimétrica e estoque de carbono do solo em quatro épocas: antes da instalação dos consórcios, após a colheita do milho, após a dessecação das pastagens e após a colheita da soja. As parcelas com maior produtividade de matéria seca foram as que resultaram em aumento no teor de matéria orgânica e estoque de carbono do solo e maior ciclagem de nutrientes das camadas mais profundas. Não houve influência do espaçamento do milho nos atributos físicos e químicos do solo. O uso de diferentes espécies simultaneamente na área resulta em redução na resistência mecânica a penetração e aumento da porosidade do solo pelo crescimento diferenciado das raízes.&nbsp;</p> J. P. Ferreira M. Andreotti I. M. Pascoaloto N. R. Costa J. G. Augusto ##submission.copyrightStatement## http://www.iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia 2018-07-10 2018-07-10 75 10.17523/bia.2018.v75.1409 Massa de forragem e características morfológicas de gramíneas do gênero Brachiaria na região do Arenito Caiuá/PR http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1446 <p align="justify"><span style="font-size: 1.4em; font-family: 'book antiqua';">Na região Noroeste do Paraná, assim como em boa parte do Brasil, as espécies forrageiras mais utilizadas são as gramíneas do gênero Brachiaria, com destaque para a Brachiaria brizantha cv. Marandu. Contudo, existem novas cultivares que precisam ser avaliadas. O objetivo deste estudo foi avaliar a massa de forragem, características morfológicas e alturas de manejo (95% interceptação luminosa do dossel) de cinco cultivares de Brachiaria brizantha (Marandu, Xaraés, Piatã, Paiaguás e MG-4) e a Brachiaria híbrida Convert HD 364. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado, com seis tratamentos e quatro repetições. Foram avaliados a altura e interceptação luminosa do dossel, massa de forragem e composição morfológica das plantas. As cultivares Xaraés, Paiaguás e MG-4 destacaram-se pela maior massa de forragem total e de folhas, particularmente na época seca, e são boas alternativas para a cultivar Marandu. . A altura do dossel forrageiro de entrada preconizada para as cultivares Marandu e Piatã está em torno de 25 cm, para Xaraés e MG- 30 cm, Paiaguás 34 cm, e Convert 23 cm.</span></p> K. F. Gobbi S. M. B. Lugão V. Bett J. J. S. Abrahão A. A. K. Tacaiama ##submission.copyrightStatement## http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/index 2018-07-12 2018-07-12 75 10.17523/bia.2018.v75.e1407 Produção de forragem, morfogênese e eficiência agronômica do adubo em capim BRS Quênia sob doses de nitrogênio http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1472 <p style="text-align: justify;">A adubação nitrogenada modifica os padrões morfogênicos de crescimento das forrageiras. Logo, estudos sobre a resposta de plantas recém lançadas, como a capim BRS Quênia, à adubação podem contribuir sobremaneira com a recomendação estratégias de manejo e doses mais apropriadas do adubo.&nbsp; Objetivou-se com este trabalho avaliar a alocação de biomassa aérea e radicular, resposta morfogênica e a eficiência agronômica da adubação em plantas de <em>Panicum maximum</em> cv. BRS Quênia, sem adubação e adubadas com 50, 100 e 200 mg.dm<sup>-3</sup> de nitrogênio. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. As proporções de folha foram maiores que as proporções de colmo, independentemente da adubação nitrogenada. Houve maiores incrementos na produção de parte aérea em detrimento a produção de raiz. O aumento da adubação implicou em menor intervalo entre o surgimento das folhas do capim BRS Quênia, bem como aumentou o número de perfilhos por planta.&nbsp; A medida que se incrementa a adubação nitrogenada há diminuição da eficiência de uso do adubo. A adubação nitrogenada influencia positivamente a produção de forragem em plantas de <em>Panicum maximum</em> BRS Quênia e, independentemente da dose de adubação nitrogenada, a parte aérea funciona como principal dreno de nitrogênio.</p> J. A. Martuscello Y. N. Ribeiro T. G. S. Braz M. R. Ferreira J. A. Assis L. Jank G. A. Reis ##submission.copyrightStatement## 2018-07-10 2018-07-10 75 10.17523/bia.2018.v75.e1411 Produtividade e características agronômicas de Brachiaria brizantha cv. Paiaguás submetida a doses de nitrogênio sob cortes http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1566 <p>Objetivou-se descrever a resposta da Brachiaria brizantha cv. Paiaguás em doses de adubação nitrogenada no segundo ano de produção. O experimento foi conduzido na área experimental da Universidade do Estado de Mato Grosso, localizada no município de Tangará da Serra, em blocos casualizados, com seis tratamentos (doses de 0, 50, 100, 150, 200 e 250 kg/ha de N) e quatro repetições, em parcelas de 9 m2 cada. As doses foram parceladas em quatro vezes, aplicadas após cada corte. Observou-se efeito significativo (P ≤ 0,05) para as variáveis alturas de plantas, número de perfilhos/m2, porcentagem de matéria seca, massa verde/ha, massa seca/ha, massa seca de folhas e massa seca de colmos/ha. Os resultados mostram que em doses de 250 kg/ha de N, com condições climáticas favoráveis ao crescimento da forragem há efeito positivo do N sobre o número de perfilhos/m2, a massa seca/ha, a massa seca de folhas e a massa seca de colmos/ha de Brachiaria brizantha cv. Paiaguás.</p> L. H. E. Germano M. C. Vendruscolo D. F. Daniel A. B. Dalbianco ##submission.copyrightStatement## 2018-12-26 2018-12-26 75 10.17523/bia.2018.v75.e1419 Operacionalização do conceito de resiliência de forrageiras sob pastoreio rotativo aos distúrbios de mudanças climáticas http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1569 <p>A resiliência de forrageiras sob pastoreio rotativo aos distúrbios de mudanças climáticas, em particular aos efeitos do déficit hídrico em veranicos, é um atributo básico para alcançar a sustentabilidade do sistema de produção de leite. Este trabalho apresenta um método baseado na dinâmica de sistemas para estimar os índices de resiliência: dureza, robustez, rapidez de recuperação e elasticidade. Um metamodelo para o manejo do ecossistema planta-animal foi adaptado para simular os efeitos dos distúrbios causados por veranicos no estoque de matéria seca dos piquetes. Os resultados dos experimentos in silico mostram diferenças entre as resiliências de dois cultivares de forrageiras para uma mesma magnitude de distúrbio e diferenças devido a época de ocorrência do déficit hídrico ser na fase de crescimento da forrageira ou na fase de uso dos piquetes pelos animais. O índice de rapidez de recuperação mostrou aderência conceitual para as condições de pastoreio rotativo, devido à premência de tempo na definição da entrada e saída dos animais nos piquetes. Concluiu-se que a operacionalização e avaliação da resiliência geram informações sobre a dinâmica do estoque de matéria seca ofertada para os animais e que estas informações são úteis para o planejamento do pastoreio rotativo.</p> L. A. Ambrósio L. M. Toledo J. B. Demski ##submission.copyrightStatement## 2018-12-26 2018-12-26 75 10.17523/bia.2018.v75.e1418 Consorciação de estilosantes Campo Grande e capim-marandu em sistemas silvipastoril e sol pleno durante a fase de estabelecimento. http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1571 <p>O objetivo foi avaliar a produção, estrutura e composição botânica dos pastos consorciados de capim-marandu e estilosantes Campo Grande em sol pleno e sistema silvipastoril a diferentes distâncias das árvores durante o estabelecimento. O delineamento foi inteiramente ao acaso com seis repetições, onde avaliaram-se o cultivo em sistema silvipastoril a 2,5 e 5,0 m de distância das árvores e em sol pleno. A massa seca de capim-marandu foi superior no sol pleno (4074,1 kg/ha) em relação ao silvipastoril (2283,4 kg/ha) e foi superior a 5,0 m (2708,1 kg/ha) em relação a 2,5 m (1858,7 kg/ha) de distância das árvores. A massa seca de estilosantes não foi influenciada pelos sistemas de cultivo e pela distância das árvores e assumiu valor de 134,0 kg/ha. A participação do estilosantes na composição botânica foi menor no sol pleno (3,59%) em relação ao silvipastoril, e menor a 5,0 m (4,76%) em relação a 2,5 m (7,32%). O sol pleno também estimulou o perfilhamento, porcentagem de colmos e altura do capim-marandu e reduziu a sua relação folha:colmo. O cultivo em sistema silvipastoril e a proximidade das árvores reduz a produção de forragem pelo capim-marandu e aumenta a participação do estilosantes na composição botânica do pasto.</p> B. M. Rodrigues T. G. S. Braz L. A. Frazão B. Q. Almeida M. A. Alves A. C. C. V. Silva M. E. M. Oliveira T. R. Vieira ##submission.copyrightStatement## 2018-12-26 2018-12-26 75 10.17523/bia.2018.v75.e1421 Inclusion of crushed corn grains and citrus pulp improves the quality of soybean silage http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1577 <p>We aimed to evaluate the effect of the inclusion of corn and citrus pulp as additives in soybean silage made in plastic (PVC) tubes. The experimental design was completely randomized, with a 2x4 factorial arrangement consisting of two additive groups (corn and citrus pulp) and four inclusion levels (no inclusion, 7, 14 and 21%). The experiment was conducted at the Forage Sector of the Lageado Experimental Farm, Faculty of Veterinary Medicine and Animal Science, UNESP, Botucatu, SP, and chemical composition analysis was carried out at the Laboratory of Bromatology. The soybean variety used was BMX Potência RR. Mechanical harvest occurred at the R7 phenological stage, at a height of 15 cm, using a harvester equipped with a two-row platform. The material was chopped into medium particles of 3 to 6 mm. After 45 days, the silages were analyzed for dry matter, crude protein (CP), total digestible nutrients, pH, ethereal extract, neutral detergent fiber, acid detergent fiber, lignin, total dry matter loss, and total carbohydrates (CHOS). The inclusion of corn (21%) and citrus pulp (14 and 21%) reduced CP values (P&lt;0.05). Control silage contained less CHOS (P&lt;0.05). The inclusion of corn meal is better than citrus pulp to improve the values of soybean silage.</p> L. R. Müller P. R. L. Meirelles A. M. Castilhos B. Lala J. S. Barros ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1431 Concentrações de hidróxido de sódio nas soluções de destilação do método de Kjeldahl sobre a quantificação do nitrogênio total http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1438 <p align="justify"><span style="font-size: 1.4em; font-family: 'book antiqua';">Objetivou-se avaliar os efeitos das concentrações de hidróxido de sódio na etapa de destilação sobre os teores de nitrogênio (N) total obtidos pelo método de Kjeldahl em diferentes materiais. Foram utilizadas oito amostras de diferentes materiais, sendo quatro amostras com baixo teor de N (cana-de-açúcar in natura, fezes bovinas, milho grão e silagem de milho) e quatro amostras com alto teor de N (carcaça ovina, caseína, farelo de girassol e farelo de soja). Adicionalmente, foram avaliadas dois padrões com conteúdo conhecido de N (HCl-Lisina e sulfato de amônio). O período experimental foi de nove dias, em que cada grupo de amostras (padrões e amostras de baixo e alto teor de N) foi analisado durante três dias consecutivos (baterias de análise). Avaliaram se quatro concentrações de hidróxido de sódio na etapa de destilação: 300, 400, 500 e 600 g/L. Os padrões foram avaliados separadamente em termos de recuperação de N em modelo incluindo o efeito xo de concentração de hidróxido de sódio e o efeito aleatório de bateria de análise. As amostras de alto e baixo teor de N foram avaliadas separadamente em modelo incluindo o efeito fixo de concentração de hidróxido de sódio e os efeitos aleatórios de bateria de análise, amostras e interação amostra × concentração de hidróxido de sódio. Verificou-se recuperação completa de N para os padrões (P&gt;0,01). Não houve efeito de amostra, bem como interação amostra e concentração de hidróxido de sódio sobre a concentração de N nos diferentes materiais (P&gt;0,01). Não foram verificados efeitos das concentrações de hidróxido de sódio sobre os teores de N dos materiais de alto e baixo nitrogênio (P&gt;0,01). A variação na concentração de hidróxido de sódio não afetou a repetibilidade dos resultados. Conclui-se que concentrações de hidróxido de sódio de 300 a 600 g/L na solução empregada na etapa de destilação do método de Kjeldahl propiciam recuperação completa do N com padrão de precisão similar. Assim, considerando-se aspectos não técnicos, recomenda-se a utilização de solução com concentração de 300 g/L devido ao menor custo com reagentes.</span></p> A. N. Rodrigues T. E. Silva E. Detmann ##submission.copyrightStatement## http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/index 2018-07-10 2018-07-10 75 Substituição do milho moído pela glicerina como aditivo em silagem de capim elefante http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1484 <p>Objetivou-se com este estudo testar o aumento linear da inclusão de glicerina bruta (86% de&nbsp; pureza) em&nbsp; substituição ao milho moído, como aditivo, na forragem de capim-elefante destinada a ensilagem, avaliando-se a qualidade nutricional do alimento e a viabilidade da ensilagem do material. Foram testados cinco níveis de substituição do milho pela glicerina em taxas que variaram de 3,12 a 12,5% sobre a matéria natural da forragem, além de um tratamento controle (apenas forragem). Realizaram-se análises bromatológicas e de digestibilidade para avaliar o valor nutricional da mistura durante a ensilagem e após o processo fermentativo, na silagem. Para avaliar a qualidade fermentativa foram feitas avaliações de pH, nitrogênio amoniacal, recuperação de matéria seca e densidade. A inclusão do milho moído incrementou (P&lt;0,05) o teor de matéria seca em até 28%, tanto na forragem fresca, bem como na silagem. Tanto a inclusão do milho, bem como a substituição deste pela glicerina resultou (P&lt;0,05) em um incremento médio de 25% e 32 % na digestibilidade in situ e valor energético da silagem, respectivamente quando comparado ao capim puro.&nbsp; Isto, devido ao decréscimo (P&lt;0,05) dos teores de fibra em detergente neutro e fibra em detergente ácido na silagem. A inclusão de glicerina aumentou (P&lt;0,05) as perdas de proteína bruta durante a fermentação e diminuiu a recuperação da matéria seca. O teor de matéria seca da forragem parece ser fator chave para o sucesso de inclusão da glicerina como aditivo na ensilagem do capim-elefante, no intuito de evitar perdas expressivas de qualidade nutricional durante a fermentação.</p> T. J. Tonin J. Viégas A. M. Silveira G. Moro S. N. Pereira L. R. Dotto L. Sebastiany J. V. Leonarde L. L. Schumacher ##submission.copyrightStatement## 2018-12-20 2018-12-20 75 10.17523/bia.2018.v75.e1417 Marteletes desgastados afetam negativamente as características operacionais da moagem e físicas do milho processado em moinho do tipo martelo http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1474 <p>Foi conduzido um trabalho para avaliar os efeitos dos níveis de desgaste de marteletes de moinho tipo martelo, sobre características físicas do milho e operacionais de moagem. Foram utilizados quatro diferentes lotes de milho, um moinho martelo com motor de 3.500 RPM, cinco conjuntos de marteletes com diferentes níveis de desgaste do vértice (0, 20, 43, 57 e 63%) e quatro diferentes peneiras com diâmetros de furos de 1, 3, 5 e 12 mm sob um esquema fatorial 5x4, com quatro repetições em um total de 80 unidades experimentais. O aumento no diâmetro dos furos das peneiras influenciou (P&lt;0,05) com aumento na produção, nos decibéis, no diâmetro geométrico médio (DGM), no desvio padrão geométrico (DPG), na densidade e com redução no consumo de energia elétrica e no ângulo de repouso (AR). O maior desgaste do martelo aumentou (P&lt;0,05) o consumo de energia elétrica, DGM, DPG, AR e com redução (P&lt;0,05) na produtividade e densidade. A análise de Linear response plateau (LRP) indicou piora na produtividade do equipamento a partir dos 55,1% de desgaste. Neste contexto, o desgaste dos marteletes influenciou negativamente as características operacionais do equipamento e físicas do milho. Para favorecer as características físicas do milho moído e evitar perdas na produtividade do equipamento recomenda-se a moagem com martelos isentos de desgaste.</p> D. Folador D. Chiodelli M. M. Boiago P. L. O. Carvalho D. Paiano ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1423 Complexo enzimático à base de xilanase, β-glucanase e fitase em rações para poedeiras comerciais leves em pico de produção http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1440 <p>Objetivou-se avaliar a suplementação de um complexo enzimático à base de xilanase, β- lucanase e fitase em rações para poedeiras comerciais leves em pico de produção de ovos sobre o desempenho e classificação dos ovos. Foram utilizadas 288 poedeiras, com idade inicial de 25 semanas, da linhagem Hy-Line W36, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado em esquema de parcelas subdivididas no tempo, com quatro tratamentos e seis repetições de 12 aves cada em quatro períodos de 21 dias. As rações experimentais foram formuladas à base de milho e farelo de soja: Ração CP - controle positivo (100% energia metabolizável recomendada, sem enzimas), Ração CN - controle negativo, constituído por reduções em 75 kcal de energia metabolizável/kg de MS; 0,12 pontos percentuais (pp) de Ca e de P disponível, Ração CN + 60 g/t de complexo enzimático e Ração CN + 100 g/t de complexo enzimático. O complexo enzimático foi à base de: xilanase = 12.000 u/g; β-glucanase = 2.500 u/g e fitase = 5.000 FTU/g. As variáveis avaliadas foram: produção média de ovos (% ovos/ave/dia), peso médio dos ovos (g), consumo médio de ração (g/ave/dia), conversão alimentar por massa de ovos (g/g) e classificação dos ovos de acordo com o peso. Não houve interação entre os tratamentos e os períodos de avaliação (P&gt;0,05). É possível observar que a produção de ovos foi influenciada pelas reduções nutricionais das rações e a inclusão de 100 g/t do complexo enzimático possibilitou a recuperação na taxa de produção de ovos, igualando às poedeiras do tratamento controle positivo (P&lt;0,01). O consumo de ração foi 1,5% maior (P&lt;0,05) para as aves que receberam 100 g/t de complexo enzimático em comparação as poedeiras alimentadas com ração sem adição de complexo enzimático (CN) (98,66 vs 97,20 g/ave/dia). O peso dos ovos respondeu (P&lt;0,01) as reduções nutricionais das rações, sendo mais leves no tratamento CN, mas com recuperação ao se adicionar 100 g/t de complexo enzimático (58,46 vs 59,29 g). A conversão alimentar foi 2,3% pior (P&lt;0,05) para as poedeiras que receberam a ração com adição de 60 g/t do complexo enzimático em relação à ração controle (1,75 vs 1,71), em decorrência, principalmente, da menor produção de ovos verificada. Recomenda-se o uso de 100 g/t do complexo enzimático a base de xilanase, β-glucanase e fitase para rações formuladas com reduções nutricionais de 75 kcal de energia metabolizável/kg de MS, 0,12 pp de cálcio e 0,12 pp de fósforo disponível, para poedeiras comerciais leves em pico de produção de ovos com objetivo de maximizar o desempenho e melhorar a classificação dos ovos produzidos</p> M. T. Abreu E. J. Fassani M. M. B. M. Silveira M. P. Viveiros ##submission.copyrightStatement## http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/index 2018-04-30 2018-04-30 75 Rendimento produtivo e viabilidade econômica de fenos de forrageiras em rações para frangos pescoço pelado http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1441 <p align="justify"><span style="font-size: 1.4em; font-family: 'book antiqua';">Com o objetivo de avaliar a resposta produtiva e a viabilidade econômica de rações com inclusão de fenos de forrageiras alternativas para aves em sistema semiintensivo, realizou-se o ensaio de desempenho, onde 600 aves da linhagem Label Rouge foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e seis repetições de vinte aves cada. A ração controle (RCO) foi formulada com milho grão e farelo de soja e utilizada como referência para a inclusão de fenos de forrageiras, sendo 20% pelos fenos de Flor de Seda (Calotropis procera) (RFS), Maniva de Mandioca (Manihot esculenta) (RMM), Mata Pasto (Senna obtusifolia) (RMP) ou Leucena (Leucaena leucocephala) (RLE). As médias para consumo de ração RCO, RMM, RFS, RMP e RLE foram de 0,1050; 0,1470; 0,0888; 0,1411 e 0,1441 kg/ave/dia, respectivamente; e os custos das rações foram 1,489; 1,209; 1,189; 1,179 e 1,249 (R$/kg), respectivamente; assim, o custo total com alimentação no período de 84 dias de semiconfinamento das aves para cada ração foi de 1.950,67; 1.790,70; 1.061,90; 1.676,04 e 1.813,60 (R$ reais), respectivamente. Esses resultados demonstraram uma queda relativa no custo com alimentação com a inclusão dos fenos das forrageiras alternativas nas rações, mas ao avaliar o desempenho produtivo em ganho de peso e rendimento de carcaça das aves, a receita total foi menor em cada uma das rações com os fenos de forrageiras, e assim, os índices de eficiência econômica e custo médio foram melhores com a ração RCO, entretanto, a RMM apresentou rentabilidade superior às outras rações com fenos.</span></p> R. T. V. Fernandes A. M. V. Arruda A. S. Melo D. R. Fernandes ##submission.copyrightStatement## http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/index 2018-04-30 2018-04-30 75 10.17523/bia.v75n1p25 Metabolizable energy for broilers with different genetic growth potentials under a free-range system http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1555 <p>The objective of this study was to evaluate the effects of different levels of metabolizable energy (ME) on performance parameters and carcass characteristics in slow-growing (experiment 1) and fast-growing (experiment 2) broilers in a free-range system. Were evaluated broilers from 35 to 70 days old in experiment 1 and 28 to 49 days old in experiment 2. A completely randomized experimental design was employed in both experiments, with five treatments and four replicates totaling 20 experimental units containing 15 broilers each. The treatments consisted of rations that had increasing metabolizable energy levels obtained by the substitution of soybean oil in the basal diet for the inert sand ingredient. The metabolizable energy levels studied in experiment 1 were 2700, 2800, 2900, 3000 and 3100 kcal/kg, and in experiment 2, they were 2800, 2900, 3000, 3100 and 3200 kcal/kg. In experiment 1, there was a linear (P&lt;0,05) reduction in consumption<br>with the increase in the metabolizable energy level, and a quadratic effect (P&lt;0,05) on the feed conversion was observed, which was estimated as 3046 kcal/kg the level that resulted in a better feed conversion of 2.648. In experiment 2, the metabolizable energy level exerted a significant quadratic effect (P&lt;0,05) on the feed intake and metabolizable energy consumption, with a maximum feed intake (3361.27 g) estimated for 2842 kcal/kg, and the maximum energy intake was estimated at 10020 kcal. The feed conversion decreased linearly (P&lt;0,05) with there was an increase in the studied levels. For broilers reared in a free-range system, for better feed conversion, the recommended metabolizable energy levels are as follows: for slow-growing broilers from 35 to 70 days of age, 3046 kcal/kg, and 3200 kcal/kg is recommended for fast-growing broilers from 28 to 49 days of age.</p> P. A. Massi C. A. R. Lima N. J. B. Machado F. Dilelis R. J. M. Brasil G. S. S. Corrêa F. A. Curvello ##submission.copyrightStatement## 2018-12-20 2018-12-20 75 10.17523/bia.2018.v75.e1420 Desempenho e qualidade de ovos de poedeiras alimentadas com níveis de bagaço de cevada na ração http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1563 <p>Objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho produtivo e a qualidade de ovos de poedeiras semipesadas alimentadas com diferentes níveis de bagaço de cevada na ração. Foram utilizadas 96 poedeiras da linhagem Hisex Brown após a muda forçada. As aves foram distribuídas em delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro tratamentos, seis repetições e quatro aves por unidade experimental. Os tratamentos foram constituídos por quatro níveis de bagaço de cevada (0; 4; 8 e 12%) em substituição ao milho. Foram avaliados: consumo de ração (g/ave/dia), produção de ovos (%), peso dos ovos (g), massa de ovos (g/ave/dia), conversão alimentar por massa (kg/ kg) e por dúzia (kg/dz) de ovos, gravidade específica (g/cm3), peso e porcentagem de gema (g e %), albúmen (g e %) e casca (g e %), variação do peso corporal (g) e viabilidade das aves (%). Não houve efeito (P&gt;0,05) dos tratamentos sobre a qualidade dos ovos. Houve efeito quadrático (P&lt;0,05) para o consumo de ração, sendo estimado o nível de 8,36% de bagaço de cevada para o menor consumo. Verificou-se efeito linear (P&lt;0,01) decrescente para a produção de ovos e massa de ovos, e efeito linear crescente (P&lt;0,05) para a conversão alimentar por dúzia de ovos (kg/dz). O uso de bagaço de cevada na ração, não influencia a qualidade dos ovos, contudo diminui o desempenho zootécnico de poedeiras semipesadas criadas em clima quente, no segundo ciclo de postura.</p> A. S. A. Assunção R. A. Martins H. J. D. Lima F. J. Muquissaí O. L. B. Bororó A. C. S. Martins ##submission.copyrightStatement## 2018-12-21 2018-12-21 75 10.17523/bia.2018.v75.1410 Desempenho de frangos de corte alimentados com inclusão de creatina animal na ração http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1458 <p>Objetivou-se avaliar o desempenho produtivo e as características de carcaça de frangos de corte alimentados com inclusão de creatina na ração. Foram avaliados 196 pintainhos de um dia de idade da linhagem Cobb 500, divididos em quatro fases: 1 a 7, de 8 a 21, 22 a 33 e 34 a 49 dias de idade, e formuladas quatro dietas experimentais, pré-inicial, inicial, crescimento e terminação, respectivamente. Todas as dietas foram produzidas a base de milho e farelo de soja. As aves foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, com 0,10% de creatina em substituição ao farelo de soja e sete repetições. As variáveis estudas foram: consumo de ração (g/ave/dia), ganho de peso (g/ave/dia), peso final (g/ave), conversão alimentar (g/g), viabilidade (%), cortes nobres (g), vísceras comestíveis (g) e rendimento de carcaça (%). Não houve influência da inclusão de creatina sobre os parâmetros de desempenho de 7 – 21 e 35 dias de idade. No entanto, houve melhora (P&lt;0,05) na conversão alimentar de 7 – 42 dias de idade. Peso vivo, peso da carcaça, coxas, asas, coração, moela, fígado e rendimento de carcaças não foram influenciados pela inclusão de creatina, com exceção do peso e rendimento de peito para abate aos 42 dias (P&lt;0,05). A inclusão de 0,10% de creatina em dietas para frangos de corte proporciona maior peso de peito de aves abatidas aos 42 dias e melhor conversão alimentar de 7 a 42 dias de idade.</p> M. S. Rosa H. J. D. Lima A. S. A. Assunção R. A. Martins H. B. Freitas D. Araújo Netto J. R. Alves B. C. Morais ##submission.copyrightStatement## 2018-12-21 2018-12-21 75 10.17523/bia.2018.v75.e1433 Desempenho de frangos de pescoço pelado alimentados com farelo de crambe (Crambe abyssinica Hochst) http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1567 <p>O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho e características&nbsp;de carcaça de frangos de corte da linhagem de pescoço pelado alimentados com&nbsp;diferentes níveis de farelo de crambe em substituição ao farelo de soja. Foram&nbsp;distribuídos em delineamento inteiramente casualizado 240 pintainhos em quatro&nbsp;tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram os quatro níveis de farelo&nbsp;de crambe: 0; 4,37; 8,75 e 17,50 %. Os frangos alimentados com rações contendo&nbsp;o farelo de crambe consumiram maiores quantidades de ração e apresentaram&nbsp;os menores ganhos de peso, resultando nas piores conversões alimentares. A&nbsp;dieta isenta de farelo de crambe resultou no maior peso de carcaça. A inclusão&nbsp;de farelo de crambe na dieta dos frangos, independente da quantidade testada,&nbsp;afetou a quantidade de gordura da carcaça, porém não afetou o restante de sua&nbsp;composição química. A utilização do farelo de crambe <em>in natura</em> em substituição&nbsp;ao farelo de soja em dietas de frangos de corte de pescoço pelado é inviável&nbsp;nas dosagens utilizadas, por afetar a disponibilidade dos nutrientes presentes na&nbsp;dieta, aumentando o consumo de ração, prejudicando a conversão alimentar e&nbsp;por resultar em carcaças mais leves.</p> T. R. Silva M. W. Ferreira R. R. Marques G. C. Dias S. P. Favaro ##submission.copyrightStatement## 2018-12-26 2018-12-26 75 10.17523/bia.2018.v75.e1428 Características produtivas e qualitativas de frangos de corte alimentados com diferentes complexos enzimáticos http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1476 <p>O objetivo desse trabalho foi avaliar a efetividade de diferentes complexos enzimáticos nas características produtivas e qualitativas em frangos de corte. Foram utilizados 936 pintainhos de corte macho, da linhagem Hubbard, distribuídos em um delineamento em blocos ao acaso, com seis tratamentos, seis repetições e 26 aves por parcela. Os tratamentos consistiram em controle positivo, controle negativo e utilização de quatro complexos enzimáticos utilizados em rações com desvalorização energética de acordo com a matriz energética das enzimas. Foi analisado o desempenho, características de carcaça e qualidade de carne. O uso dos diferentes complexos enzimáticos (CE1 e CE2) e suas desvalorizações proporcionaram maior consumo de ração e de energia em relação aos tratamentos CP, CN, CE3 e CE4, porém isto não refletiu no ganho de peso, conversão alimentar, índice de eficiência produtiva, além das características de carcaça, cortes e qualidade de carne. Conclui-se que a utilização de componentes enzimáticos altera desempenho das aves, sem alterar as características de carcaça e carne.</p> J. A. Barbosa Filho J. P. F. Oliveira A. D. C. V. Boas M. Almeida T. Dornellas A. C. Hoffmann C. A. Silva A. Oba ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1427 Bem-estar e qualidade de ovos de codornas alimentadas com extratos de camomila e passiflora http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1575 <p>O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de diferentes combinações de passiflora (<em>Passiflora&nbsp;alata</em>) e de camomila (<em>Matricaria chamomila</em>) sobre o desempenho, qualidade de ovos, comportamento e&nbsp;estresse de codornas durante as fases de recria e de postura. Foram utilizadas 196 aves, distribuídas em&nbsp;blocos ao acaso, com quatro tratamentos (ração convencional; 125 mg de <em>Matricaria chamomila</em> + 375 mg&nbsp;de <em>Passiflora alata</em>/kg de ração; 250 mg de <em>M. chamomila</em> + 250 mg de <em>P. alata</em>/kg de ração; 375 mg de <em>M.&nbsp;chamomila</em> + 125 mg <em>P. alata</em>/kg de ração), com sete repetições e sete aves por parcela. A fase de recria&nbsp;iniciou-se aos 28 dias de idade das aves, durando 14 dias. Nesta fase foram avaliados consumo diário de&nbsp;ração, ganho diário de peso, conversão alimentar, viabilidade de criação, o tempo em imobilidade tônica&nbsp;(TIT), a intensidade de ferimentos e a relação entre heterófilos e linfócitos (H:L). A fase de postura teve&nbsp;início quando as aves atingiram 42 dias de idade, em que foram avaliados consumo de ração, conversão&nbsp;alimentar, produção e qualidade de ovos, viabilidade, TIT, intensidade de ferimentos e relação H:L.&nbsp;Na fase de recria a inclusão dos fitoterápicos às rações não alterou o desempenho, a relação H:L e as&nbsp;intensidades de lesões (P≥0,05), mas diminuiu o TIT quando da adição de 250 mg de cada fitoterápico&nbsp;(P&lt;0,05). Na fase de postura as diferentes combinações de camomila e passiflora não afetaram o&nbsp;desempenho e a qualidade externa de ovos frescos (P≥0,05). No entanto, quando se adicionou 250 mg&nbsp;de cada extrato nas rações houve redução no TIT, na relação H:L e na intensidade de lesões na cabeça e&nbsp;corpo das aves (P&lt;0,05), indicando que as aves estavam menos estressadas. Quanto à qualidade interna&nbsp;de ovos frescos, verificou-se melhora na unidade Haugh e nas porcentagens de gema e de albúmen&nbsp;quando da inclusão de 250 mg de cada fitoterápico (P&lt;0,05). Conclui-se que a adição de camomila e de&nbsp;passiflora nas rações não altera o desempenho produtivo das aves nas fases de recria e de postura, não&nbsp;influencia a qualidade externa e interna dos ovos e, as aves tornam-se mais calmas quando da inclusão&nbsp;de 250 mg de cada fitoterápico em ambas fases de criação.</p> P. F. Brunelli H. F. Romania G. R. S. Cultri H. V. Santos L. T. S. Dias J. D. T. Silva ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1432 Viabilidade técnica e econômica do uso de diferentes níveis de grãos secos de destilaria com solúveis (Zea Mays L.) em borregas terminadas em confinamento http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1442 <p align="justify"><span style="font-size: 1.4em; font-family: 'book antiqua';">Avaliou-se a viabilidade da utilização de rações contendo diferentes níveis de grãos secos de destilaria com solúveis - GSDS (0, 8, 16 e 24%) em borregas confinadas. As rações continham 65% de volumoso (silagem de milho) e 35% de concentrado (grão de milho moído, farelo de soja, grãos secos de destilaria com solúveis e ureia). Foram utilizadas 16 borregas sem raça definida, com peso corporal (PC) inicial de 23,8 ± 1,5 kg, confinadas por 75 dias. Foi utilizado delineamento experimental inteiramente casualizados com quatro tratamentos. Os dados de consumo MS e ganho médio diário (GMD) das borregas alimentadas com os diferentes tratamentos foram submetidos à análise de variância e as diferenças obtidas foram analisadas por equação de regressão a 5% de significância. Os diferentes níveis de GSDS não alteraram o GMD das cordeiras em confinamento. Pela simulação técnica econômica, a diferença obtida no valor da receita total por carcaça das borregas foi de R$ 26,93 a mais para a ração a base de 16% de GSDS em relação à ração com 0% de GSDS. Além disso, a ração com 24% de GSDS apresentou um valor de R$ 5,67 a menos em relação à ração com 0% de GSDS. Foi verificado que as borregas alimentadas com os diferentes níveis de GSDS apresentaram uma receita de R$ 18,00 kg/carcaça, o que proporcionou uma diferença de R$ 2.693,00 na receita total entre as rações contendo 16 e 0% de GSDS para um módulo de 100 animais. A diferença do valor da receita total foi reflexo do maior peso da carcaça quente de 11,4% para a ração com 16% GSDS em relação à com 0% GSDS. A ração com 16% de GSDS apresentou um custo de R$ 1,48/kg menor em relação à ração com 0% de GSDS. Além disso, a ração com 16% de GSDS apresentou receita líquida total de 98,7% maior em relação à ração com 0% de GSDS. O grão seco de destilaria com solúveis pode ser inserido na dieta de borregas em terminação em até 24% da ração total sem alterar o desempenho animal, e ao considerar a simulação econômica a utilização de 16% de inclusão de GSDS apresenta maior lucratividade.</span></p> L. J. V. Geron A. L. Souza A. M. Zanine M. A. P. Pierangeli D. J. Ferreira E. L. Sousa Neto E. J. H. Paula L. C. Diniz I. S. Santos S. F. Zanin ##submission.copyrightStatement## http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/index 2018-04-30 2018-04-30 75 10.17523/bia.v75n1p33 Avaliação de intervalos de tempo para registro do comportamento ingestivo de bovinos confinados individualmente http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1495 <p>&nbsp;O objetivo desse trabalho foi comparar o intervalo de tempo de registro de cinco minutos com quatro intervalos de tempo (10, 15, 20 e 30 minutos), para avaliação dos comportamentos comendo, ruminando, em ócio, em pé, apresentados por bovinos confinados individualmente. Foram utilizados 62 machos Nelore desmamados, confinados durante 112 dias. O comportamento foi registrado a cada 28 dias, durante 24h, por observações diretas com rota de amostragem <em>scan </em>e intervalos de registro de 5 minutos, para o cálculo das seguintes características: tempo de alimentação, tempo de ruminação, tempo em ócio, tempo em pé e frequência de alimentação. Foram comparados os intervalos de registro por meio de variâncias, correlações e médias das características. Observou-se para as características, tendência de aumento da variância residual à medida que o intervalo de tempo entre dois registros aumentou, com exceção da frequência alimentar, em que foi observada tendência de diminuição da variância residual com o aumento do intervalo de registro. As médias ajustadas para as medidas de comportamento ingestivo obtidas nos intervalos de registro de 5, 10, 15, 20 e 30 minutos não diferiram significativamente (P&gt;0,05) entre si, com exceção de tempo de alimentação, que apresentou menor valor (P&lt;0,05) no intervalo de registro de 30 minutos em comparação ao intervalo de 5 minutos. Observou-se que até o intervalo de registro de 15 minutos, as correlações com o intervalo de registro de 5 minutos podem ser consideradas altas. Entretanto, acima de 15 minutos de intervalo de registro, a correlação com o intervalo de registro de 5 minutos cai abruptamente, deixando claro que intervalos de registros superiores a 15 minutos são inadequados para estimar as características de comportamento ingestivo de bovinos avaliadas.</p> J. Aldrighi R. H. Branco J. N. S. G. Cyrillo E. Magnani C. F. Nascimento M. E. Z. Mercadante ##submission.copyrightStatement## 2018-08-31 2018-08-31 75 10.17523/bia.2018.v75.e1412 Sugarcane silage treated with calcium hydroxide in feedlot cattle diet: animal performance and meat quality http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1485 <p>This study aimed at evaluating sugarcane (<em>Saccharum officinarum </em>L) silage treated with calcium hydroxide - Ca(OH)<sub>2 </sub>- (slacked lime) as the only roughage source in a feedlot ration, regarding animal performance and meat quality. Forty five Canchim steers (22 months old, 345 kg live weight) were assigned, in a complete randomized block design, to three treatments (total mixed rations - TMR - with 35% roughage): T1- TMR with fresh sugarcane; T2 - TMR with sugarcane silage treated with calcium hydroxide (10 g Ca(OH)<sub>2</sub>/kg of fresh forage); T3 - TMR with corn silage. Dry matter intake (DMI), feed efficiency (FE), average daily gain (ADG) and carcass yield (CY) were evaluated. Meat was analyzed for quality parameters (pH, water holding capacity, cooking loss, color and shear force) and sensory attributes. Steers fed the silage treated with calcium hydroxide presented similar (P&gt;0.05) DMI (11.3 kg dry matter - DM/d), FE (0.15 kg live weight - LW/kg DMI) and CY (52.6%) compared to those receiving corn silage, despite their lower (P&lt;0.05) ADG (1.57 vs. 1.81 kg live weight/d). Compared to animals fed the fresh sugarcane, steers fed sugarcane silage treated with calcium hydroxide presented higher (P&lt;0.05) DMI (11.3 vs. 9.8 kg DM/d) and CY (52.7% vs. 51.2%) but similar (P&gt;0.05) ADG and FE (1.5 kg LW/d and 0.14 kg LW/kg DMI, respectively). The different rations did not affect (P&gt;0.05) meat quality parameters and sensory attributes, except fat color and off flavor sensory attribute. It was concluded that calcium hydroxide can be indicated as an efficient additive for the ensilage of sugarcane. Feedlot cattle fed TMR containing sugarcane silage treated with this additive, as the only roughage source, presented adequate performance and meat quality.</p> A. F. Pedroso R. T. Nassu R. R. Tullio A. Berndt W. Barioni Junior S. N. Esteves A. M. Pedroso G. B. Souza ##submission.copyrightStatement## 2018-12-20 2018-12-20 75 10.17523/bia.2018.v75.e1425 Ocorrência de hematomas e lesões em carcaças bovinas e sua relação com o transporte rodoviário http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1487 <p style="text-align: justify;">Objetivou-se avaliar a incidência de hematomas e perdas por lesões em carcaças bovinas de animais submetidos ao transporte rodoviário. Foram avaliadas 1599 carcaças quanto ao número de hematomas e 1440 quanto as perdas por lesões. O estudo foi conduzido no município de Aquidauana/MS, em frigorífico local. Avaliou-se visualmente o número, localização, coloração e tamanho dos hematomas. Além disso, foram coletados dados referentes aos tipos de caminhões, distância percorrida até o frigorífico, classe sexual e idade dos animais. Para quantificar as lesões, realizou-se a coleta e pesagem das lesões retiradas durante a toalete final das carcaças. Das carcaças avaliadas quanto aos hematomas, 97,81% apresentaram um ou mais hematomas. Além disso, a região sacral obteve a maior percentagem média de hematomas (31,77%). A coloração mais presente nas carcaças avaliadas foi a de número 2 (púrpura), com 67,75%. Foi encontrada maior incidência de hematomas de tamanho 2 (26 a 36 cm<sup>2</sup>), com 29,51%. Já em relação ao tipo de caminhão, os animais transportados por veículo tipo Julieta apresentaram maior número de hematomas. Do total de animais avaliados para lesões, 61,32% apresentaram, totalizando 324,36 kg de lesões retiradas na toalete final da linha de abate, o que representou uma perda econômica de R$ 3.091,41. A alta incidência de hematomas e lesões em carcaças bovinas ocorre predominantemente durante o transporte, no manejo pré-abate, gerando detrimento da qualidade das carcaças e perdas econômicas.</p> D. M. Oliveira C. L. C. Nunes B. Baches L. S. Esobar C. J. Piazzon H. J. Fernandes ##submission.copyrightStatement## 2018-12-22 2018-12-22 75 10.17523/bia.2018.v75.e1434 Avaliação de resistência e susceptibilidade a nematódeos gastrintestinais em ovelhas a pasto http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1443 <p align="justify"><span style="font-size: 1.4em; font-family: 'book antiqua';">Objetivou-se identificar matrizes mestiças Dorper X Santa Inês resistentes, resilientes e susceptíveis a endoparasitoses sob regime de pastejo. O experimento foi realizado na Fazenda Lanila Agropecuária, localizada no município de Ceará Mirim- RN. O período experimental foi de onze de abril de 2016 ao dia vinte e dois de agosto de 2016. No decorrer desses quatro meses foram realizadas nove coletas. Foram utilizadas 111 matrizes ovinas, os dados coletados dos animais foram: peso vivo (Kg), avaliação do escore de condição corporal (ECC), avaliação do grau de Famacha© (FAM), contagem de ovos por gramas de fezes (OPG), identificação das larvas infectantes (coprocultura), avaliação de parâmetros hematológicos (EOS, eosinófilos; RBC, contagem de eritrócitos; HGB, hemoglobina; HCT, hematócrito). Na coprocultura a prevalência foi de 97% de Haemonchus contortus. Os animais classificados como resistentes apresentaram maior peso e não houve diferença significativa para a variável ECC. Já nos susceptíveis foi observado maior grau de Famacha© e contagem de OPG. O OPG apresentou correlação com as variáveis RBC, HGB e HCT e com a maior parte das variáveis, acompanhado também pelo grau de Famacha©. Não foi observado correlação entre OPG e o FAM. Foi possível avaliar a resistência e susceptibilidade a endoparasitas em ovelhas Santa Inês x Dorper em regime a pasto, sendo a maioria classificada como susceptível (64%), seguido dos animais resistentes (34%).</span></p> F. F. S. Roberto V. Lima Junior A. L. C. Gurgel W. A. Saraiva Y. M. O. Silva L. R. C. Silva L. A. C. Silva A. C. Teixeira ##submission.copyrightStatement## http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/index 2018-04-30 2018-04-30 75 10.17523/bia.v75n1p44 Características físico-químicas dos méis de abelhas Apis mellifera produzidos na região do Pólo Cuesta, São Paulo, Brasil http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1481 <p>A região do Pólo Cuesta, considerada um pólo de turismo rural, é formada por diversas cidades no interior do estado de São Paulo, e possui expressividade considerável na produção de mel. Entretanto, o mel produzido pelas abelhas sofre influência direta das fontes vegetais, resultando em variações de sua qualidade. Assim, o objetivo do presente trabalho foi realizar um levantamento da qualidade do mel produzido na Região do Pólo Cuesta, proveniente de diferentes floradas (eucalipto, laranjeira e silvestre), por meio de análises físico-químicas (cinzas, pH, acidez, sólidos insolúveis, cor, presença de glicose comercial, teste de Fiehe, reação de Lund e Lugol) e teor de minerais (cálcio, cobre, enxofre, ferro, fósforo, magnésio, potássio, sódio e zinco) por meio da espectrofotometria de absorção atômica. De acordo com os resultados, o mel da região mostrou-se dentro dos parâmetros físico-químicos estabelecidos pela legislação vigente. O teor de minerais das amostras sofreu variações significativas de acordo com a origem botânica. Pode-se considerar que o mel produzido por abelhas <em>Apis mellifera L.</em> na região do Pólo Cuesta possui boa qualidade e pode tornar-se um produto com denominação de origem.</p> E. H. Ito W. L. P. Araújo A. J. Shinohara D. C. B. Barros M. P. Camilli R. O. Orsi ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1429 Eficiência técnica dos estabelecimentos rurais brasileiros: o que nos dizem os microdados do censo agropecuário 2006? http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1574 <p>O objetivo deste trabalho foi estimar os escores de eficiência técnica dos estabelecimentos agropecuários brasileiros utilizando o método da Fronteira Estocástica de Produção. Para tanto, foram utilizados os microdados do Censo Agropecuário 2006 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cujas unidades de pesquisa são os estabelecimentos agropecuários, visto que os mesmos permitem caracterizações amplas, bem como a minimização de possível viés causado pela agregação das informações em âmbito municipal ou estadual. Dentre os resultados, destaca-se que o valor da produção respondeu positivamente a aumentos nos fatores terra, bens de capital, trabalho e insumos, mas negativamente ao estoque de animais existente no estabelecimento. A média da eficiência técnica estimada foi de 0,32, sendo que esse baixo valor observado sugere que, em média, os estabelecimentos agropecuários brasileiros eram bastante ineficientes. Este resultado é de grande importância para as políticas agropecuárias, uma vez que sugerem que políticas voltadas para reduzir a ineficiência técnica dos estabelecimentos rurais podem ser eficazes para aumentar a produção agropecuária.</p> A. M. Schuntzemberger A. V. Sampaio ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.1415 Comparative assessment of feed preparation technologies for Ukrainian breeds of dairy cows http://iz.sp.gov.br/bia/index.php/bia/article/view/1477 <p>The analysis of variance of the breed's influence on the milk yield in the farms has established that there is no difference between the milk yields of Ukrainian black-and-white dairy breed and Ukrainian red-and-white dairy breed. Influence of breed on milk yields was not significant (P&gt;0.05). Therefore, an assessment of feeding technologies and development of a model for prediction of milk yield were carried out without taking into account the breeds. Average duration of working action, called "feed unloading from the shovel", amounts 6.82±0.43 s without weighing and 14.94±3.61 s with weighing during loading. The measure of influence of the feed unloading type on the duration of that working action η<sup>2</sup>=0.217 (P&lt;0.001). Coefficient of correlation between number of forage in feed mixture and: total number of working actions of feeder in cycle of feed preparation amounted 0.58 (P&lt;0.01); specific number of working actions of feeder for service 1 cow in cycles of preparing of feeds was 0.41 (P&lt;0.05); expenses of forage loader for servicing 1 cow in cycles of forages loading equaled 0.60 (P&lt;0.05). The mechanisms of influence of ergonomic components' characteristics of preparation, delivery and distribution of feeds on behavior, milk productivity, labor productivity and efficiency of different technological processes were found and formalized. The model of evaluation of expected milk yields at the farm on base of feeding technology characteristics was developed. The model includes the variables: method of feeding of different forms of forages (total mixed / mixed + separately / separately), number of forage types in ration and method of dosage. The model describes 83% of variation of milk yields significantly (P&lt;0.01). Ceteris paribus, the farms, which apply feeding a total mixed rations ad libitum, are capable to get milk yields on 1581-2585 kg higher than farms, which realize feeding technology less rationally.</p> V. P. Shablia ##submission.copyrightStatement## 2018-12-27 2018-12-27 75 10.17523/bia.2018.v75.e1424