Bulletin of Animal Husbandry
Volume: 34 - Número: 2 - Pg: 155-163 - Ano: 1977


Autores
C. Boini, M. P. de Moura.


Comparação entre dois níveis de proteína bruta e entre dois níveis de energia para zebuínos em crescimento.
Resumo

Testou-se o efeito de dois níveis de proteína bruta (11 x 13%) e de dois níveis de nutrientes digestíveis totais (64 x 70%) no ganho de peso vivo de zebuínos não castrados com alto grau de sangue nelore, idade média inicial de dez meses e peso vivo médio inicial de 180kg. Três rações experimentais foram balanceadas em nutrientes digestíveis totais (NDT), usando-se dados médios de tabelas publicadas, e em proteína bruta (PB), empregando-se dados de análise de amostras dos ingredientes usados (silagem de milho, rolão de milho, grão de milho e farelo de algodão). Foram conduzidos um ensaio de digestibilidade e balanço de nitrogênio e um ensaio de ganho de peso vivo com dois níveis de ingestão para cada ração (ad libitum e restrito), usando-se um delineamento em blocos ao acaso. Os valores dos teores de proteína digestível determinados são inferiores aos estimados pela fórmula do NRC 8, 9 Observou-se também que o teor em NDT da ração de alta energia foi bem inferior ao estimado — 66 x 70%, sendo que para a ração de baixa energia os valores foram mais próximos— 63 x 64%, respectivamente. A percentagem de nitrogênio retido não foi afetada pelos tratamentos. Os resultados do ensaio de ganho de peso vivo (168 dias de duração) mostram que para uma ração com 63% de NDT, o aumento do teor de E3B de 11 para 13% causa um aumento no nível de ingestão ad libitum (P < 0,05) e, conseqüentemente, na ingestão de nutrientes e no ganho de peso (P < 0,05). O aumento do teor de NDT de 63 para 66% na ração com 13% de PB não afetou a ingestão de NDT e o ganho de peso. No nível de alimentação restrito, não foram encontradas diferenças significativas para os parâmetros testados, embora na ração com 63% de NDT o aumento do teor de PB de 11 para 13% tenha proporcionado um aumento de ganho de peso vivo bastante próximo de significância estatística. Os resultados, usados para estimar as exigência de zebuinos em crescimento e engorda, são discutidos neste contexto.


Comparison between two protein levels and two energy levels for growing Zebu bulls.
Abstract

The experiment studied the effect of two levels of crude protein (11 x 13%) and two levels of total digestible nutrients (64 x 70%) on the liveweight gain of growing zebu bulls (high grade Nelore), about 10 months old and with au average liveweight of 180 kg. Three experimental rations were balanced for TDN based on published average values and for CP based on analysis of samples of the ingredients used (com silage, ground whole car com, com grain and cottonseed meal). A digestion and nitrogen balance trial and a liveweight gain trial with two levels of intake were carried out. The contents of digestible protein determined were lower than those estimated by the NRC published formula. The determined TDN value of the high energy ration was lower than the estimated one (66 x 70%). This difference was smaller in the case of the low energy ration (63 x 64%). The proportions of the nitrogen ingested or the nitrogen absorbed which were retained were not affected by the energy or protein levels. The results of the liveweight gain trial (168 days long) show that for the 63% TDN ration, increasing the CP content from 11 to 13% increased ad libitum dry matter and nutrients intake and increased liveweight gain significantly (P < 0.05). Increasing the TDN content from 63 to 66% for the ration with 13% CP did not increase energy intake and neither liveweight gain. At the restricted level of intake, dry matter and energy intakes were very similar and although the intake of energy of the 63% TDN and 11% CP ration was slightly higher than the 63% TDN and 13% CP ration (228.5 x 219.4 kcal 1) E/kg LW0.734/day), liveweight gain was slightly higher for the latter one (0.618 x 0.659 kg/day animal).


Íntegra (PDF)




Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir