Bulletin of Animal Husbandry
Volume: 34 - Número: 2 - Pg: 165-175 - Ano: 1977


Autores
C. Boin , J. B. de F. Trovo, G. F. Alleoni, L. M. B. Neto.


Efeito da fonte de proteína (Farelo de algodão de farelo de guar) e do nível de concentrado do desempenho de zebuínos em confinamento.
Resumo

Duas fontes de proteína (farelo de algodão e farelo de guar) e três níveis de suplementação com concentrados foram comparados em um ensaio de confinamento, usando-se garrotes não castrados com alto grau de sangue nelore, idade e peso vivo médio de 18 meses e 282kg. Os tratamentos com nívelt zero de concentrado foram constituídos de silagem de milho e um dos dois farelos numa proporção para obter um teor de 13% de proteína bruta (PB). Os dois concentrados usados foram balanceados com rolão de milho e uru dos dois farelos, e fornecidos nos níveis de 0.6 e 1,2% do peso vivo, corrigido a cada 28 dias. Os teores dos nutrientes digestíveis dos alimentos foram determinados através de um ensaio de digestibilidade com o mesmo tipo de animal e quatro tratamentos, dois constituídos de silagem mais um dos farelos e dois com fornecimento dos concentrados respectivos ao nível de 0,8% do peso vivo. Os coeficientes de digestibilidade dos componentes químicos não foram afetados pela fonte de proteína, com exceção da fibra bruta, que apresentou maior digestibilidade nas rações à base de farelo de guar (P < 0,05). O teor de NDT, embora sem significância estatística foi ligeiramente superior nos tratamentos à base de farelo de guar. Embora a fonte de proteína não tenha influenciado o ganho de peso, o farelo de guar apresentou melhor conversão alimentar do que o farelo de algodão (< 0,05). Para este, o auriento cio nível de concentrado causou um aumento linear na ingestão de matéria seca (P < 0,01) e no ganho de peso vivo (P < 0,05), sem afetar a conversão alimentar. Para o farelo de guar, o aumento do nível de concentrado aumentou linearmente a ingestão d matéria seca (P < 0,01), sem afetar significativamente o ganho de peso vivo. Em conseqüência, para conversão alimentar os componentes linear e quadrático da regressão foram significativos (P < 0,01 e P < 0,05, respectivamente).


Effect of protein source cottonseed vs. guar meal) and level of concentrate feeding on the performance of zebu bullocks under drylot conditions.
Abstract

Two sources of protein (cottonseed and guar meals) and 3 levels of supplementation whith concentrate (2 x 3) were compared in a feeding trial using nelore bullocks about 18-month-old and 282 kg of livebody weight. The treatments without concentrate were balanced with com silage and one of the two protein supplements to have ca. 13% CP on dry basis. The two concentrate mixtures used were prepared with ground whole ear com and one of the 2 protein supplements and each fed at levels of 0,6 and 1,2% of livebody weight, adjusted every 28 days. A digestion trial was carried out to determine the nutritive value of the rations used. The digestion coefficients of the chemical components were not affected by the protein source, with exception of crude fiber, which digestibility was higher for the guar crude fiber, which digestibility was higher for the meal rations (P < 0,05). TDN content, although not significantly, showed a trend to be higher for the guar meal based rations. Livebody weight gain was not affected by protein source, but feed conversion was superior for the guar meal rations (P < 0,05). The increase in the levei of concentrate feeding for the cottonseed meal based diets caused a linear increase on dry matter intake (P < 0,01) and on liveweight gain (P < 0,05), but did not affect feed conversion. For the guar meal based diets, increasing the levei of concentrate feeding, increased the dry matter intake linearly (P < 0,01), but did not affect liveweight gain. As a consequence the linear and quadratic effects were significant for feed conversion (P < 0,01 and P < 0,05, respectively).


Íntegra (PDF)




Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir