#novembroazuloficial            #novembroazul

Bulletin of Animal Husbandry
Volume: 45 - Número: 1 - Pg: 89-105 - Ano: 1988


Autores
G. P. Guaragna, V. L. Cardoso, R. B. Lobo, M. I. de A. Barbosa


Endogamia e reprodução de bovinos matiqueira da Estação esperimental de zootecnia de Pindaminhangaba
Resumo

Dados de trinta anos, desde a formação do rebanho mantiqueira, em 1952, foram estudados para avaliar o efeito da endogamia nas características de reprodução: idade ao primeiro parto (IPP), intervalo entre partos (IEP), período de serviço (PS), período de gestação (PG) e peso ao nascer do produto (PN). Foram incluídas no trabalho com 43 vacas, pertencentes a 5 gerações e filhas de 25 touros. O coeficiente de endogamia, segundo WRIGTH (1923) calculado para todas as vacas foi de 2,88 ± 0,22% com os valores variando de 0,00 ao máximo de 28,3% e a dos touros pais das vacas foi de 1,74% variando de 0,00 ao máximo de 14,65%. O efeito de endogamia, como regressão linear, foi altamente significativo para a idade ao primeiro parto, tanto como classe como variável contínua. Para cada mudança de classe de 5% de endogamia, houve aumento de 60,56 dias na idade ao primeiro parto (y = 1175,32 + 60,56x) e para o aumento de 1% da endogamia como variável continua, obteve-se um aumento de 9,912 ± 2,76 dias na IPP. O período de gestação (y 1) foi também afetado significativamente de uma forma quadrática pela classe de endogamia (x), apresentando a seguinte função y1 = 282,323 - 3,892x + 0,817x2. O intervalo entre partos e o peso ao nascer dos produtos não foram afetados significativamente pelo coeficiente de endogamia. As estimativas de herdabilidade levando-se em conta os efeitos da endogamia não sofreram modificações substanciais em face aos baixos valores dos coeficientes de endogamia obtidos para os animais do rebanho. A endogamia apesar de estar em níveis baixos no rebanho, é altamente deletéria neste tipo de gado e deve ser evitada a todo custo.


Inbreeding and reproduction in the Mantiqueira cattle of the Estação Experimental de Zootecnia de Pindamonhangaba
Abstract

Data from a basic herd of Mantiqueira type cattle, raised at the “Estação Experimental de Zootecnia de Pindamonhangaba”, over a 30 years period, since its formation in 1952 were studied. Some aspects of inbreeding of 443 cows born in the farm from over fíve generations by maternal line, daughters of 25 sires, were considered to study the age at first calving, calving interval, service period, gestation length and birth weight. The inbreeding coefficient estimated for the 443 cows was 2,88 ± 0,22%, beign the minimum value, 0,00 and the maximum, 28,32% and for the 25 sires was 1,74 %, with a minimum, 0,00 and the maximum of 14,65%. The effect of inbreeding, included in the model as a linear regression covariat was a significant source of variation for AFC, when studied both as a class interval (5%) or continuous variable. For each 5% increase, it was observed an increase of 60,50 days in the age at firts calving (y = 1175,32 ± 60,56x) and for each 1% increase (continuous variable), it was obtained an increase of 9,912 ± 2,76 days in the age of first calving. GL (y1) was significantly affected by class of inbreeding (x), (quadratic effect), presenting the following function: y1 =283,323 - 3,892x + 0,817x2. Cl and BW were not significantly affected by inbreeding. Hertability estimates takino, into acount the inbreeding effects were not substantiality affected, since the values obtained for the inbreeding coefficientes were low. Although the inbreeding levels observed in the herd were low, it must be avoided for this type of cattle, because of its deleterious effects.


Íntegra (PDF)




Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir