NOTÍCIAS


29/10/2010

Centro de Pesquisa em Pecuária de Corte do Instituto de Zootecnia – Sertãozinho encerra a 60ª Prova de Ganho de Peso (28/10/2010)

Nesta quinta-feira, 28 de outubro de 2010 o Instituto de Zootecnia (IZ-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo realizou o encerramento oficial da 60ª Prova de Ganho de Peso em Sertãozinho.

 

O evento foi realizado no Centro de Pesquisa em Bovinos de Corte localizado na Rodovia Carlos Tonani - km 94 - SP 333 - Sertãozinho - SP.

 

Estiveram presentes cerca de 30 pessoas, pesquisadores envolvidos nos estudos, pecuaristas, criadores que participaram da 60ª Prova e estudantes de mestrado da Pós-Graduação IZ.

 

A programação teve início às 9h00 com abertura oficial realizada pelo Dr. Evaldo Ferrari Junior que representou a Dra Maria Lúcia Pereira Lima, Diretora Geral do Instituto de Zootecnia.

 

Às 9h30 foram apresentados os resultados da PGP/CAR 2010 da raça Nelore, com a presença dos criadores Gabriel Cláudio de Sales e José Augusto Franco Vilela que tiveram seus animais consagrados vencedores na Prova.

 

Além dos resultados obtidos com a raça Nelore, também foram apresentados os resultados da PGP das raças Santa Gertrudes, Guzerá, Caracu e Gir.

 

Logo após a divulgação dos dados, os participantes foram a campo, conhecer os animais vencedores da prova e observar os animais classificados como ELITE.

 

A Prova de Ganho de Peso (PGP) é um teste de desempenho que objetiva identificar indivíduos geneticamente superiores para características de interesse econômico. Os testes de desempenho individual se aplicam as características mensuráveis no próprio animal e que possuam herdabilidade de medianas a altas. É instrumento auxiliar em sistemas de avaliações genéticas, dentro de rebanhos e entre rebanhos, sobretudo em populações que não possuem boa conectabilidade genética em seus bancos de dados. Por não utilizar informações de genealogia, aplica-se, inclusive, a populações que fazem uso de touros múltiplos. Permite a avaliação precoce dos progenitores e conseqüente diminuição do intervalo de gerações.

 

O consumo alimentar residual (CAR), é definido como a diferença entre o consumo de matéria seca observado (medido diariamente) e o consumo de matéria seca estimado. Através de equação de regressão, levando em conta o peso vivo médio metabólico e o ganho médio diário.

 

Aguarde, em breve os resultados estarão disponíveis no site do Instituto de Zootecnia!

www.iz.sp.gov.br

 

Para mais informações:

Tel.: (16) 3491.6156 - (16) 9127.4562

 
Foto: Pesquisadora Renata Helena Branco – Diretora do Centro de Pesquisa em Bovinos de Corte (IZ/APTA/SAA) e pecuaristas.
 

Veja todas as notícias



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir