PUBLICAÇÕES >> Boletins Técnicos
Boletim Técnico IZ 52 - Mandioca e seus subprodutos na alimentação de ruminantes

Autores
Edison Valvasori; Gilberto Bufarah; José Monteiro carriel; Luiz Carlos Assef.

Resumo

 
Boletim Técnico IZ 52 - Mandioca
A mandioca é uma planta pertencente ao Reino Plantae, Divisão Magnoliophyta, Ordem Malpighiales, Família  Euphorbiaceae, Subfamília Crotonoideae, Tribo Manihoteae, Gênero Manihot e cujo nome binomial é Manihot esculenta Crantz.. Sua origem compreende a faixa tropical do continente americano.
 
A cultura da mandioca vem apresentando um crescimento médio de produção anual de 2,6% e passou de 97 milhões para 173 milhões de toneladas nos últimos 30 anos. As projeções para a produção de mandioca no mundo, em 2005, indicavam um volume de 208,80 milhões de toneladas, sendo 58% destinada à alimentação humana, 22% para a alimentação animal e 20% para a produção de amido.
 
As raízes  de  mandioca  podem  ter  seu  consumo na alimentação humana ou animal na forma “in natura”  ou processadas em indústrias, quando são usadas como matéria prima para alguns produtos, como é o caso da farinha de mesa, polvilho doce e azedo, tapioca, sagu, até produtos física e quimicamente modificados que podem ser usados nas indústrias de alimentos, química, farmacêutica e de papel.
 
No Estado de São Paulo, a mandioca tem três segmentos importantes:
 

1.   Não comercializada – importante na segurança alimentar e complementação da renda de famílias de baixo poder aquisitivo. Ocorre na periferia das áreas urbanas em todo o Estado;

2.   Comercializada in natura – destinada aos mercados hortifrutigranjeiros e indústria de congelados. Produzida ao redor dos grandes centros urbanos;

3.   Agroindústria de farinha e fécula – destinada à produção de farinha e fécula.

 
Na alimentação animal, a  planta pode ter seu aproveitamento integral, utilizando-se as raízes e a parte aérea, assim como os subprodutos obtidos de agroindústrias,  principalmente farinha e amido. Podem ser ministrados para ruminantes e para monogástricos, na forma fresca ou seca.
 
Para aquisição clique aqui e veja mais informações.
 
 
 
 

Veja todas as publicações



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir