#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul

PUBLICAÇÕES >> Dissertações de Mestrado
Degradabilidade in situ e parâmetros ruminais de ovinos alimentados com feno de Arachis pintoi cv. belmonte

Autores
Gisele Machado Fernandes

Resumo

RESUMO

 

A leguminosa Arachis pintoi é uma espécie nativa dos Cerrados do Brasil que apresenta excelente adaptação a solos ácidos e com baixa fertilidade, alta produção de forragem, bem como alta capacidade de fixação de nitrogênio e tolerância ao sombreamento. A forragem produzida por essa leguminosa é de boa qualidade podendo ser utilizada na forma de pastejo, feno ou silagem. No Brasil, o potencial das leguminosas e da produção de ovinos torna importante o estudo das características digestivas dessas plantas. Os dados obtidos pelos métodos in vitro podem não ser os mais adequados para sua utilização na formulação de dietas, portanto valores obtidos com animais têm maior relevância para o balanceamento das dietas. Existem poucas informações em relação ao comportamento ruminal do Arachis e dados como de degradação da matéria seca, da proteína bruta, produção de amônia e ácidos graxos de cadeia curta no rúmen são importantes no estudo da caracterização e utilização do alimento para ruminantes. Este trabalho teve por objetivo avaliar o melhor teor de inclusão do feno de Arachis pintoi cv. Belmonte na dieta de ovinos através do consumo de matéria seca, produção de ácidos graxos de cadeia curta, concentração de nitrogênio amoniacal e pH do líquido ruminal, degradabilidade in situ da matéria seca e da proteína bruta e digestibilidade in vitro da MS do feno. O consumo de matéria seca teve efeito quadrático com relação aos níveis de inclusão de Arachis pintoi cv. Belmonte, sendo o tratamento com 60% da leguminosa o que obteve maiores ganhos. Interação significativa foi observada entre os tratamentos e os tempos de amostragem para nitrogênio amoniacal, concentração molar de acetato, propionato e butirato e para a relação acetato:propionato. Não houve interação significativa entre os tratamentos e os tempos de amostragem de líquido ruminal para as variáveis pH e concentração molar total dos ácidos graxos de cadeia curta. A degradação da matéria seca e da proteína bruta foram semelhantes entre si com as maiores taxas de degradação ocorrendo no tratamento com 100% da leguminosa. A leguminosa Arachis pintoi cv. Belmonte mostrou-se uma forrageira com altos teores de proteína bruta, de digestibilidade e teores adequados de fibras, apresentando excelentes padrões de degradação e de características ruminais como pH e concentração de amônia garantindo a qualidade do ambiente ruminal. Entre os tratamentos, o nível contendo 60% de Arachis pintoi cv. Belmonte se apresentou, biologicamente, como a melhor opção obtendo os maiores ganhos de peso e maior ingestão de matéria seca. Seu uso na alimentação de ruminantes constitui-se como alternativa de fornecimento de nutrientes para atender o potencial de produção desses animais.

 

Palavras-chave: ácidos graxos de cadeia curta, amendoim forrageiro, degradabilidade in situ, digestibilidade, nitrogênio amoniacal, proteína bruta

ABSTRACT

 

The legume Arachis pintoi is a native species of the Cerrado of Brazil, which has excellent adaptation to acid soils with low fertility, high forage production and high capacity for nitrogen fixation and shade tolerance. The forage produced by this crop is of good quality can be used in grazing, hay or silage. In Brazil, the potential of legumes and sheep production, makes important the study of digestive traits of these plants. The data obtained by in vitro methods may not be the most suitable for use in formulation diets, therefore the values obtained with animals have more relevance to the balance of the diets. Currently there is little information regarding the conduct with arachis rumen metabolism, and data such as degradation of dry matter, protein, production of ammonia and volatile fatty acids from the rumen are important in the study of characterization and utilization of food for ruminants. This study aimed to evaluate the best level of inclusion of hay Arachis pintoi cv. Belmonte sheep through the dry matter intake, production of short-chain fatty acid, ammonia nitrogen concentration and pH of rumen fluid, in situ degradability of dry matter and crude protein and in vitro digestibility of dry matter of hay. The dry matter intake showed a quadratic effect with respect to inclusion levels of Arachis pintoi cv. Belmonte, and treatment with 60% of the legume which obtained the greater gains. Significant interaction was observed between treatments and times of sampling for ammonia nitrogen, molar concentration of acetate, propionate and butyrate and the acetate:propionate ratio. No significant interaction between treatments and sampling time of rumen fluid for the variables pH and molar concentration of total short chain fatty acids. The degradation of dry matter and crude protein were similar with the highest rates of degradation occurring in treatment with 100% of the legume. Arachis pintoi cv. Belmonte showed a forage with high crude protein content, digestibility and appropriate levels of fiber, with excellent standards of degradation and characteristics such as pH and ruminal ammonia concentration ensuring the quality of the rumen. Among treatments, the level containing 60% of Arachis is presented, biologically, as the best option getting the larger weight gains and higher dry matter intake. Its use in ruminant feed is constitutes as an alternative supply of nutrients to meet the production potential of these animals.

 

Keyswords: short chain fatty acids, peanut forage, degradability in situ, digestibility, crude protein, ammonia nitrogen.

Íntegra (PDF)


Veja todas as publicações



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir