#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul

PUBLICAÇÕES >> Dissertações de Mestrado
Eficiência de dois protocolos de IATF utilizando benzoato de estradiol ou GnRH

Autores
Vinicius Antonio Pelissari Poncio

Resumo

Resumo

 

A inseminação Artificial (IA) tornou-se uma das principais biotecnologias reprodutivas de impacto econômico na produção de bovinos, aumentando a produção de carne e leite por hectare. O emprego de alguns fármacos disponíveis no mercado possibilitou essa biotecnologia, sem o comprometimento na fertilidade do estro induzido. Assim, inúmeros protocolos hormonais vêm sendo desenvolvidos para realização da inseminação artificial em tempo pré-determinado, ou seja, em tempo fixo com taxas de concepção aceitáveis. O emprego de alguns fármacos, dentre eles o Benzoato de Estradiol, disponíveis no mercado possibilitou essa biotecnologia, sem o comprometimento na fertilidade do estro induzido. A União Européia pela Diretiva 2003/74/CE, proibiram o uso de estradiol e seus derivados para a finalidade de sincronização do cio em animais de produção. Neste trabalho, foram utilizadas 70 novilhas e 20 vacasda raça nelore divididas aleatoriamente em dois grupos utilizando dois protocolos de Inseminação Artificial em tempo fixo (IATF), um com Benzoato de Estradiol e outro com gonadorelina, o GnRH (Hormônio Liberador de Gonadotrofina). Os animais, após a IATF, foram avaliados quanto a presença de Corpo Lúteo, estro, taxa de concepção e em ambos protocolos os resultados foram semelhantes e sem diferença significativa, com a taxa de concepção (prenhez no primeiro serviço) em 32% nas novilhas e 50% nas vacas, sem diferença significativa em teste de chiquadrado a 5 %, com ambos os protocolos de IATF. Estes resultados, do ponto de vista econômico visando o mercado europeu, são bastante vantajosos, uma vez que a Comunidade Européia está restringindo a importação de carnes e co-produtos que tenham utilizado estradiol na sua produção.

 

Palavras – chave: IATF, estradiol, União Européia, GnRH

 

 

Abstract

 

Artificial Insemination (AI) became one of the major biotechnologies with economic impact over the livestock production (cattle and dairy).The use of some products enables such technology, without compromising fertility of induced estrus. In this way, several hormonal protocols are being developed to perform the AI in a pre-determined period of time, at a fixed time with conception rates acceptable. The use of some products, among them oestradiol benzoate, a common product in the veterinary field, enabled this technology, without compromises the induced estrus fertility. Therefore, European Union, throughout Directive 2003/74/CE forbids the use of oestradiol and its derivates products to aim the estrus synchronization in livestock animals, mainly bovine. In this work 70 heifers and 20 cows, all Nellore, randomly divided into two groups were submitted to two Artificial insemination at Fixed Time (AIFT), one group using oestradiol benzoate and another using gonadoreline- the GnRH (Gonadotrofine Hormone inducer). After AIFT, animals were evaluated for

presence of Luteous Body, heat, conception rate and for both protocols, results were similar, with no significant differences, presenting a conception rate ( pregnancy at the first service) of 32 % for heifers and 50% for cows, with no significant difference on the chi-squared test at 5 %. Such results present an advantage looking at the economic point of view, aiming the European market, once the European Community is restricting importation of meat and coproducts which had used oestradiol during its production.

 

Key-words: European Union, FTAI, GnRH, oestradiol

Íntegra (PDF)


Veja todas as publicações



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir