#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul

PUBLICAÇÕES >> Dissertações de Mestrado
Termografia infravermelha para avaliação do incremento calórico causado pela ingestão de volumoso

Autores
Suelen Corrêa da Silva

Resumo

RESUMO:
A termografia de infravermelha (TIV) é um método alternativo e não invasivo, que tem sido estudado como uma ferramenta para a identificação de vários processos fisiológicos e patológicos relacionados com alterações na temperatura do corpo. No primeiro experimento o objetivo do projeto foi mapear a temperatura da superfície corporal de bovinos leiteiros da raça Jersey para ser utilizada como uma temperatura padrão para comparações dos tratamentos em estudos de alimentação e nutrição. O experimento teve duração de 35 dias, conduzido na Fazenda Experimental da APTA de Ribeirão Preto-SP, utilizando 24 novilhas da raça Jersey. Foram realizadas medições em todos os animais, iniciando com os parâmetros fisiológicos: frequência respiratória, Frequência cardíaca e temperatura retal. Foram feitas coletas de fotos termográficas de corpo inteiro no lado esquerdo e direito, nos olhos e na pata esquerda no lado cranial e dorsal. As imagens analisadas no programa computacional InsideIR TM versão 4.0. O segundo experimento foi realizado um experimento com 24 novilhas Jersey (peso vivo médio de 221,25 Kg) em um delineamento experimental em quadrados latinos múltiplos com os tratamentos: 30, 50 e 70 % de volumoso. Silagem de milho e concentrado farelado foi ministrado em dieta total das 8:00 às 14:00 em quantidades de 3% do peso vivo. Cada etapa do experimento foi feita com sete dias de adaptação e cinco dias de colheita de dados. A TIV (no flanco e olhos direito e esquerdo, nas patas e fronte dos animais), batimentos cardíacos, frequência respiratória e temperatura retal (TR) foram feitos das 6:00 às 18:00 de duas em duas horas. No primeiro experimento foi realizado o mapeamento das temperaturas corporais obtidas por termografia infravermelha (TIV). Não houve correlação e regressão linear significativa entre a temperatura retal e as variáveis de TIV. No segundo experimento houve efeito de tratamento para IMS (7,99, 8,52 e 7,45 kg), P˂0,0001), e ingestão de FDN (2,88, 3,51 e 3,45), P<0,0001, para 30, 50 e 70%. O ph ruminal não teve influência das dietas. O nitrogênio amoniacal foi influenciado pelas dietas (26,93, 20,92 e 11,63 μmol/ m) para 30, 50 e 70% de volumoso, P= 0,0001. O ácido butírico teve efeito linear significativo (P=0,0467). Houve diferença da TIV do flanco direito entre os tratamentos (32,38, 32,56 e 32,39 °C, P=0,0379), pata esquerda lado cranial (31,03, 31,52 e 31,3 °C, P=0,0559) e olho esquerdo ponto máximo (37,82, 37,98 e 37,99 °C, P=0,0160). As demais variáveis estudadas não apresentaram diferenças entre os tratamentos. Embora a diferença entre os tratamentos foram de pequena magnitude, a utilização de imagens termográficas permitiu detectar um aumento de temperatura associado com o consumo mais elevado de fibra dietética.

Palavras–chave: imagens termográficas, ingestão de FDN, ruminante, temperatura retal.
 

ABSTRACT:

Infrared thermography (IRT) is an alternative, non invasive method, which has been studied as a tool in the identification of several physiological and pathological processes related to changes in body temperature. In the first experiment In order to map the temperature of the body surface area of Jersey breed of dairy cattle to be used as a standard temperature more related to rectal temperature, aiding in comparisons of treatments in studies of diet and nutrition, an experiment was conducted in 35 days Experimental Farm of the APTA of Ribeirão Preto-SP, using 24 heifers breed Jersey. Measurements were performed in all animals, starting with the physiological parameters: respiratory rate, heart rate and rectal temperature. And made the collections of thermographic pictures of the whole body on the left and right eye and left leg on the cranial and dorsal. And analyzing the images in the computer program InsideIR TM version 4.0. The second experiment was conducted with 24 Jersey heifers (average body weight of 227 kg), in a replicated latin square design, with repeated measures in time, with the following treatments: 30, 50 and 70% forage (corn silage) in relation to the diet dry matter (DM). Feeding consisted of a total mixture ration offered (3% of body weight) from 08:00 to 14:00. Each collection period (four days) was preceded by 7 days of diet adaptation. The thermography images (right and left flank and eyes, feet and forehead), heart rate, respiratory rate and rectal temperature were obtained every two hours, from 06:00 to 18:00h. The first experiment was conducted to map the body temperatures obtained by infrared thermography (IRF). There was no significant correlation and linear regression between the rectal temperature and the variables of TIV. In the second experiment the 50% treatment had higher DMI (6,50, 7,24 and 5,95 kg for 30, 50 and 70, P ˂ 0,0001); and NDF intake (2,88, 3,51 and 3,45, P<0,0001, for 30, 50 and 70%). The pH was not influenced by the by the diets. The ammonia concentration was influenced by diets (26,93, 20,92 and 11,63 μmol/ m) for 30, 50 and 70%, P= 0,0001. The butyric acid had significant linear effect (P=0,0467). Temperature values of the thermography images of the right flank were 29.95, 30.11 and 29.89 ° C, foot (31,03, 31,52 and 31,3 °C, P=0,0559) and left eye maximum (37,82, 37,98 and 37,99 °C, P=0,0160), in the 30, 50 and 70% treatments. Others variables did not differ between treatments. Although the difference between treatments were of small magnitude, the use of thermographic images enabled to detect a temperature increase associated with higher dietary fiber intake.

Keywords: NDF intake, rectal temperature, ruminant, thermography images

Íntegra (PDF)


Veja todas as publicações



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir