PUBLICAÇÕES >> Dissertações de Mestrado
Avaliação de sistemas de refrigeração e congelação na cinética e função espermática do sêmen bovino

Autores
Erika Aline Ribeiro Dias

Resumo

Umas das principais etapas no processo de criopreservação do sêmen é a curva de refrigeração. O ritmo de refrigeração pode diminuir o choque térmico e seus danos às células espermáticas, com isso melhores resultados na criopreservação podem ser obtidos utilizando-se curvas de refrigeração mais lentas e homogêneas, mas em alguns sistemas de refrigeração, como refrigeradores domésticos, isso não acontece. O objetivo do projeto foi confrontar simultaneamente diferentes sistemas de refrigeração e criopreservação de sêmen bovino e, avaliar seus efeitos na qualidade do sêmen criopreservado. O delineamento experimental utilizado foi em blocos aleatórios (touros), em fatorial 5x2, com 5 sistemas de refrigeração e 2 sistemas de criopreservação de sêmen, totalizando 10 tratamentos. Foram colhidos, por meio de eletroejaculador, de 1 a 4 ejaculados de 12 touros, perfazendo 38 ejaculados. Os ejaculados foram diluídos em meio de fração única (BotuBov®) para concentração de 50x106 sptz/ml. Após a diluição foram refrigerados por 5 horas em 5 sistemas diferentes de refrigeração (TK 4000® com curva de refrigeração de 0,25ºC/min; TK 4000® com curva de refrigeração de 0,5ºC/minuto, refrigerador Minitube®, Botutainer® e refrigerador doméstico comum) e 2 de congelação (TK 4000® e isopor com nitrogênio líquido). A cinética espermática foi realizada pelo aparelho IVOS (Versão 14, Hamilton-Thorne Bioscience) em quatro momentos: no sêmen fresco, após 4 horas de refrigeração (antes da criopreservação), após a criopreservação e após o teste de termorresistencia rápido (TTR). Além disso, foi avaliada a integridade das membranas plasmática, acrossomal, mitocondrial e ROS, por meio da citometria de fluxo. As análises foram feitas no PROC GLM (SAS Inst., Inc., Cary, USA) e diferença estatística foi declarada quando P<0,05. O sistema de refrigeração de 0,25ºC/min e congelação programada (TK 4000®) foi o mais eficiente em manter a viabilidade espermática, avaliada pelas variáveis motilidade total, motilidade progressiva, rápidos, velocidade de trajeto, velocidade progressiva, velocidade curvilinear, deslocamento lateral da cabeça, frequência de batimento, retilinearidade e linearidade (41,1±2,2%; 31,6±1,7%; 38,7±2,1%; 79,3±1,1 μm/s; 65,5±0,9 μm/s; 134,3±2,3 μm/s; 5,4±0,1 μm; 28,5±0,6 Hz; 81,0±0,8 % e 51,0±0,7 %), pois realiza curva de refrigeração mais lenta e congelação controlada. Nas avaliações da citometria de fluxo, os espermatozoides dos sistemas de refrigeração com curvas mais lentas (0,25ºC/min, 0,5ºC/min e BotuTainer®) tiveram maior integridade de membrana plasmática e acrossomal, maior potencial mitocondrial e menor concentração de ROS. Os sistemas de refrigeração com curvas mais rápidas (Minitube® e refrigerador doméstico comum) e o sistema de congelação convencional, demonstraram inferioridade nas análises realizadas. Foi possível verificar a ineficiência destes equipamentos amplamente utilizados para realizar criopreservação espermática.

Palavras-chave: CASA, criopreservação, Nelore, viabilidade espermática.

Íntegra (PDF)


Veja todas as publicações



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir