#novembroazuloficial            #novembroazul

PUBLICAÇÕES >> Dissertações de Mestrado
ESTRESSE TÉRMICO EM BOVINOS DAS RAÇAS NELORE E CARACU

Autores
Sérgio Brasil Garcia Pimenta Neves Pereira Lima

Resumo

As dificuldades climáticas enfrentadas na produção animal em países de clima tropical levam a busca de soluções para aumentar a produtividade do rebanho, sendo que uma das alternativas é a utilização de raças adaptadas a elevadas temperaturas. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito de temperaturas elevadas em 78 bovinos machos das raças Caracu e Nelore, submetidos a situação de estresse térmico. Foram mensuradas as características fisiológicas frequências cardíaca e respiratória, além da temperatura dorsal e retal, índice de tolerância ao calor e nível de cortisol. Foi realizada análise estatística com auxílio do programa SAS 9.2, por meio de proc MIXED, com teste de comparação de médias Tukey a 5% de significância. O modelo utilizado incluiu o efeito fixo de tratamento (manhã, sol e sombra) raça (Nelore e Caracu), mês da coleta (outubro, dezembro, fevereiro e março) e a interações entre efeitos. Foi observado dentro do mês de dezembro que o tratamento sol a temperatura de superfície dos animais da raça Caracu (43,3ºC) e Nelore (40,8ºC), foi superior em comparação ao tratamento sombra (36,0ºC Caracu e 35,8ºC Nelore), a raça Caracu teve uma maior temperatura de superfície em relação a raça Nelore, o qual pode ter causado aumento da temperatura interna observado no tratamento sol (39,4ºC) em relação ao tratamento sombra (39,1ºC), esse aumento da temperatura interna dos animais da raça Caracu demonstra uma maior sensibilidade as variações da temperatura ambiente pela raça Caracu, visto que a raça Nelore manteve sua temperatura interna (39,2ºC) em ambos tratamentos (sol e sombra). Apesar das variações da temperatura interna, as raças Caracu e Nelore não apresentaram necessidade de um aumento nas frequências cardíaca e respiratória afim de aumentar a perda de calor para o ambiente e manter a homeostase térmica. A verificação da exposição ao sol ter causado estresse nos animais não foi observada, entretanto foi observado um maior estresse dos animais entre os períodos da manhã e da tarde, possivelmente causado pela variação da temperatura ambiente entre os períodos. Apesar das variações fisiológicas observadas nas duas raças, as raças Caracu e Nelore demonstraram resistência a exposição ao sol, apresentando estar adaptadas as situações de calor.

Íntegra (PDF)


Veja todas as publicações



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir